GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

O inferno gelado dos refugiados na Sérvia em 10 fotos

2 mil pessoas estão nas ruas de Belgrado, capital da Sérvia, tentando sobreviver à escassez de comida e às temperaturas negativas

Eles vêm do Afeganistão, da Síria, do Iraque e do Paquistão. Alguns estão sozinhos, outros não têm mais que 15 anos. São refugiados que deixaram suas casas ou o que sobrou delas e hoje vivem em um depósito abandonado atrás de uma importante estação de trem em Belgrado, capital da Sérvia.

Apesar do governo do país afirmar que é capaz de abrigá-los, 2 mil pessoas estão nas ruas  – e, no momento, enfrentam temperaturas negativas desesperadoras de -15ºC e cerca de 30 cm de neve.  A situação é ainda mais crítica, porque 60% deles são menores de idade desacompanhados.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (UNHCR, sigla em inglês) estima que 7,2 mil refugiados estão na Sérvia. Desde que a União Europeia e a Turquia assinaram um acordo no último ano para restringir o número de imigrantes que chegam de barco, muitos deles foram caminham pelos Bálcãs para chegar à Sérvia, país que não faz parte da União Europeia. De acordo com o governo sérvio, em média 150 pessoas entram no país de forma irregular todos os dias.

Como é de se esperar, o frio não é o único entrave de quem está nas ruas. A comida é escassa e a presença de organizações humanitárias também. O resultado não poderia ser diferente: as fotos de Belgrado se parecem com imagens feitas durante a 2ª Guerra Mundial.

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. o pior disso tudo é ver que o progressismo ainda incentiva e quer ver esses refugiados entrando na europa de todo jeito. Mas em nenhum momento esses socialistas caviares tocaram no ponto que realmente importa, que é o de resolver o problema em seus países. Porque a ONU ao inves de falar merda de Israel não tenta resolver problema na líbia? Síria? Iraque? Porque so ficam dizendo pra abrir fronteiras pra todo tipo de gente invadir a Europa? Até quando essa política de destruição do ocidente continuará em curso?

    Curtir

  2. Eduardo Nishimura

    Essas imagens não mudaram, guerras geram lucros aos “capitalistas” e o sofrimento alheio é o menor deles para eles. Enquanto isso gerar lucros e favores, esses tipos de conflitos sempre existiram. Nos fechamos os olhos para tudo isso, porque não é na nossa pele.

    Curtir