Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

O inferno gelado dos refugiados na Sérvia em 10 fotos

2 mil pessoas estão nas ruas de Belgrado, capital da Sérvia, tentando sobreviver à escassez de comida e às temperaturas negativas

Por Pâmela Carbonari Atualizado em 26 jan 2017, 20h04 - Publicado em 26 jan 2017, 19h47

Eles vêm do Afeganistão, da Síria, do Iraque e do Paquistão. Alguns estão sozinhos, outros não têm mais que 15 anos. São refugiados que deixaram suas casas ou o que sobrou delas e hoje vivem em um depósito abandonado atrás de uma importante estação de trem em Belgrado, capital da Sérvia.

Apesar do governo do país afirmar que é capaz de abrigá-los, 2 mil pessoas estão nas ruas  – e, no momento, enfrentam temperaturas negativas desesperadoras de -15ºC e cerca de 30 cm de neve.  A situação é ainda mais crítica, porque 60% deles são menores de idade desacompanhados.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (UNHCR, sigla em inglês) estima que 7,2 mil refugiados estão na Sérvia. Desde que a União Europeia e a Turquia assinaram um acordo no último ano para restringir o número de imigrantes que chegam de barco, muitos deles foram caminham pelos Bálcãs para chegar à Sérvia, país que não faz parte da União Europeia. De acordo com o governo sérvio, em média 150 pessoas entram no país de forma irregular todos os dias.

Como é de se esperar, o frio não é o único entrave de quem está nas ruas. A comida é escassa e a presença de organizações humanitárias também. O resultado não poderia ser diferente: as fotos de Belgrado se parecem com imagens feitas durante a 2ª Guerra Mundial.

 

Continua após a publicidade
Publicidade