GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Uber lança versão 80% mais barata para adaptar-se à crise

UberFeet, novo serviço da empresa, elimina um intermediário caro e problemático em tempos de recessão: o carro.

 

Primeiro foram os sedãs pretos do uberBlack, depois vieram os carros comuns, do uberX, oferecendo corridas mais em conta, e agora chega uma nova versão, com preço ainda mais reduzido: a uberFeet. Nessa modalidade, a viagem acontece nas costas do colaborador do Uber. “Entendemos que o carro é um intermediário que, em muitos casos, pode ser dispensado”, diz Emerson Sotomayor, vice-presidente do Uber para a América Latina. “Trata-se de um modelo criado sob medida para a crise brasileira: qualquer desempregado agora pode se tornar colaborador nosso, mesmo que não tenha carro”, aponta o executivo.

O raciocínio é que a ascensão do desemprego alimente tanto a demanda pelo serviço como a oferta de prestadores. Tanto que duas mil pessoas, segundo o Datafolha, enfileiravam-se na manhã desta sexta, primeiro de abril, na sede do Uber para cadastrarem-se como condutores do Feet. “Achei uma boa, até porque nem tenho carteira de motorista”, diz Fidípedes Souza, que havia chegado na fila às 4 da manhã. “Gostei também porque ainda dá pra gente fazer um exercício enquanto ganha dinheiro”.

Sotomayor concorda: “É muito mais saudável trabalhar para o uberFeet do que para as versões motorizadas. Se eu não tivesse que usar terno o dia inteiro, já tinha me cadastrado!”, gargalha o executivo.

A empresa espera atrair o público jovem, apresentando o serviço como algo mais descolado e ecológico que os meios tradicionais. “Usar o uberFeet é uma alternativa bem mais sustentável do que andar de bicicleta, por exemplo”, afirma Sotomayor. “Bicicleta usa pneu. Pneu é feito de borracha sintética. E borracha sintética é feita de petróleo. No uberFeet não tem nada disso”.

Frugalidade à parte, a companhia já planeja uma versão premium: a uberFeet Black, voltada a um público de maior poder aquisitivo, mas que não abre mão das vantagens ecológicas e sociais do pedestrianismo. Nessa modalidade vip, os passageiros serão transportados em liteiras, por quatro a seis condutores. A água e as balinhas continuarão grátis.