GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Volta ao mundo em 11 food trucks

De comida italiana e peruana a temperos asiáticos, tem de tudo um pouco nos food trucks que circulam Brasil afora

A onda dos food trucks parece que veio mesmo para ficar. Desde maio de 2014, quando o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, regulamentou o comércio de alimentos em áreas públicas, a cidade foi invadida por uma frota de simpáticos caminhões coloridos especializados na venda de comida e bebida. Não demorou para que outras cidades do país copiassem a ideia. Embora os hambúrgueres e os hot dogs se destaquem nos menus, há muito mais a experimentar e é possível dar uma volta ao mundo da gastronomia seguindo os food trucks.

Dos ceviches peruanos às massas italianas, do brasileiríssimo baião de dois aos crepes de sotaque francês, tem de tudo um pouco.

Confira, no roteiro a seguir, uma seleção de 11 food trucks, em cinco cidades brasileiras, que fogem do lugar-comum. Alguns deles, pilotados por chefs de cozinha que viraram celebridades da TV, são fenômenos de público. Prepare-se para filas e selfies.

SÃO PAULO

Buzina

Um dos donos, Márcio Silva, é apresentador do programa Food Truck – A Batalha, exibido pelo canal GNT. Isso explica apenas em parte a fama do caminhão, mas é a formação dos chefs que garante o sucesso do menu. Silva já trabalhou com Daniel Boulud, em Nova York, e Andoni Aduriz, na Espanha, celebridades do mundo da gastronomia. Seu sócio, Jorge Gonzalez, formou-se em Londres e passou pelo D.O.M., de Alex Atala. A dupla prepara receitas substanciosas inspiradas em diversos países, como arroz de rabada, frango ao curry e fritas bravas temperadas com páprica, um clássico nos bares espanhóis.

Boa pedida: sanduíche cubano de pernil, presunto, queijo suíço, picles e mostarda, montado na ciabatta

Cilli

O chef Felipe Cilli já foi proprietário de restaurantes em São Paulo, mas, hoje, cozinha sobre rodas e comanda um quadro no programa Mulheres, da TV Gazeta. A culinária italiana é sua especialidade – ele cuida das massas e carnes, enquanto sua mulher, Danyela Grandi, responde pelas sobremesas. Tem fãs o nhoque de batata recheado com mussarela, levinho, servido com molho de tomate e parmesão ralado. E também o sanduba de joelho de porco defumado com queijo, tomate e molho pesto.

Boa pedida: hamburgone, um polpetone recheado com mussarela, temperado com alcaparra, calabresa e azeitona, gratinado com parmesão e servido no pão

La Peruana

A chef Marisabel Woodman pilota o food truck, eleito o melhor da cidade pela revista VEJA SÃO PAULO COMER & BEBER 2015. Ela se inspira na gastronomia dos países andinos para preparar o menu típico, composto de ceviches (peixes e frutos do mar marinados), causas (petiscos frios à base de purê de batata), tiraditos (lâminas de peixe temperadas) e anticuchos (espetinhos de carne marinada). Para acompanhar, tem pisco sour, feito com destilado de uva peruano, limão, açúcar e clara de ovo.

Boa pedida: arroz de mexilhões, lulas e camarões preparado com cerveja, ají amarillo e ají panca, duas pimentas típicas andinas

Ruaa

Proprietários de um restaurante com o mesmo nome no bairro paulistano da Vila Madalena, o chef Fernando Pereira e seu sócio, Flávio Tupinambá, reproduzem no food truck os hits da casa, cujo menu se inspira em comidas de rua do mundo todo. São pratos contemporâneos, repletos de influências de outros países, como a salada de lulas com legumes grelhados, o steak tartare e o camembert empanado com salada e pão.

Boa pedida: burrito de carne ou de frango, acompanhado de fritas e mix de queijos, guacamole, sour cream, molho de pimenta jalapeño, alface e tomate

Cozinha com Z

O baiano Zeca Amaral atuava como personal chef antes de inaugurar o food truck. Ele é craque em receitas brasileiras com vários sotaques. De Minas Gerais vem a inspiração para a linguiça flambada na cachaça com tutu de feijão. A feijoada com arroz e farofa rica em couve é a cara do Rio de Janeiro, enquanto o sanduíche de carne-seca com queijo de coalho e pasta de rúcula homenageia os estados nordestinos. Exclusivamente nos eventos, Zeca frita bolinhos de feijoada que causam suspiros.

Boa pedida: baião de dois com queijo de coalho grelhado com maçarico, carne-seca e carne de sol

RIO DE JANEIRO

Sudtruck

A chef Roberta Sudbrack, que comanda um sofisticado restaurante com seu nome, foi eleita a melhor chef mulher da América Latina pelo ranking Latin America’s 50 Best Restaurants. Mas ela não esconde que gosta mesmo é de comida de rua. Seu food truck causa furor por onde passa. O menu não poderia ser mais enxuto: só um tipo de sanduíche, um cachorro-quente incrementado batizado de SudDog, feito com pão caseiro, linguiça artesanal e queijo pernambucano de Gravatá, bem derretido por cima de tudo.

Boa pedida: bolo molhado de chocolate amargo, que vem em copinho, para comer com colher

Gula Gula Sobre Rodas

O restaurante Gula Gula, um ícone carioca há 33 anos, com 16 unidades na cidade, ganhou sua versão food truck em 2015. Pintado a mão, o veículo vende as criações da chef Nanda de Lamare, também responsável pela cozinha da rede. São adaptações dos maiores sucessos lançados pela marca ao longo de três décadas, como o picadinho de mignon ao molho de vinho com arroz à piamontese e batata palha. Para a sobremesa, tem torta de limão desconstruída e brownie com doce de leite.

Boa pedida: sanduíche de carpaccio de carne do Gula com rúcula, montado na ciabatta

Le Vin

O grupo de bistrôs, pâtisseries e boulangeries tem quatro unidades em São Paulo, uma em Brasília e duas no Rio – mas o pequeno food truck, montado sobre uma motocicleta, é exclusividade carioca. Nele é possível comprar as delícias francesas mais vendidas pela Le Vin Pâtisserie, como a linha de coloridíssimos macarons, minitartes, minimusses de vários sabores, gougère (o pão de queijo francês), quiches, bolos, brioches e focaccias.

Boa pedida: croissant de amêndoas, com massa folhada delicada e amanteigada na medida

BRASÍLIA

Crepe Voyage

Henry Wall, Francisco Lima e Israel Lopes, o trio de sócios, oferecem variações sobre um único tema: crepes. Do cardápio de salgados, a clientela escolhe um dos recheios com combinações caprichadas, como o Brasil, de carne-seca com pasta de alho; o França, de frango com milho, tomate, mussarela, orégano e molho barbecue; ou o Estados Unidos, de peito de peru com molho de mostarda e mel. Todos vêm dobrados em formato triangular, para facilitar a vida do freguês. Para finalizar, há três versões doces: doce de leite com mussarela; banana com mussarela e canela; e banana com chocolate.

Boa pedida: crepe Alemanha, de linguiça defumada com catupiry, cebola e molho de quatro pimentas

VITÓRIA

Avenida Brigadeiros

Uma Kombi 1974 serve de abrigo para o food truck pilotado pela confeiteira Gláucia Cunha. Ela usa chocolate belga para dar forma a brigadeiros enroladinhos, mas também faz versões cremosas, para comer de colher. Criativa que só, vive inventando sabores novos: tem de açaí, de queijo grana padano, de waffle, de morango com manjericão, entre tantos outros.

Boa pedida: brigadeiro de colher de Ferrero Rocher, o famoso bombom italiano de chocolate com avelã

RECIFE

Maria Pasteleira

É Bruna Pierrotti quem comanda o food truck. Como o nome entrega, a especialidade da casa sobre rodas é o pastel. Além das versões tradicionais, como o Maria Vai com as Outras, recheado de queijo; o Maria Chiquinha, de carne com azeitona; e o Maria Italiana, de queijo com tomate e orégano, não faltam versões inventivas doces e salgadas. Entre as opções mais incrementadas estão o Maria Pasteleira, de costela com provolone, e o Maria Bonita, recheado de goiabada com queijo.

Boa pedida: pastel Maria Escandalosa, com recheio de queijo gorgonzola, pera caramelada e mussarela