Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

A menor marca do mundo

Cientistas do Centro de Pesquisas da IBM conseguiram escrever sobre um cristal de níquel as letras IBM com 35 átomos de xenônio, cujo desenho mede 1,6 bilionésimo de milímetro.

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h50 - Publicado em 31 Maio 1990, 22h00

Para mostrar que mesmo átomos microscópicos podem ser movidos sobre uma superfície e colocados onde se deseja, dois cientistas do centro de pesquisas da IBM da Califórnia fizeram com a sigla da empresa uma proeza insólita. Com a ajuda de um microscópio de tunelamento eletrônico, uma maravilha capaz de ampliar objetos mais de 500 mil vezes, eles conseguiram escrever sobre um cristal de níquel as letras IBM com 35 átomos de xenônio, um gás não reativo encontrado no ar. O resultado sem dúvida merece ser inscrito no livro Guinness de recordes: um desenho que não mede mais de 1,6 angstrom, ou inimaginável 1,6 bilionésimo de milímetro. Os cientistas, um americano, outro alemão, precisaram de muita paciência e habilidade. Vinte e duas horas foram gastas movendo a agulha de tungstênio do microscópio a fim de atrair, como um ímã, sobre a superfície do metal, cada um dos átomos que formariam as letras. Para que não escapassem, tiveram de ser congelados a uma temperatura de 269 negativos, marca não muito distante do zero absoluto. Foi mais que uma jogada de marketing: os Cientistas pretendem aprimorar a técnica para aplicações em transístores e em circuitos elétricos microscópicos de computadores cada vez menores.

 

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade