GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

A nova corrida espacial

A disputa para conquistar, pesquisar e ganhar dinheiro com o sistema solar

Marcelo Cabral

Se algo valeu a pena na guerra fria, foi a corrida espacial. A rivalidade entre EUA e União Soviética fez com que a humanidade chegasse à Lua e mandasse sondas para todos os cantos do sistema solar. Com o fim do bloco comunista, os dois países cortaram as verbas para a pesquisa espacial e nós nunca mais fomos tão longe. Até agora. Por motivos econômicos e científicos, o mundo voltou a se interessar pelo espaço a ponto de ensaiar uma segunda edição da corrida espacial. O melhor é que desta vez você tem várias opções de países para torcer. Além de EUA e Rússia, a União Européia, a China, o Japão, a Índia, empresas privadas e até o Brasil estão na disputa. Quem vai levar o caneco?

Mercúrio

Candidatos: EUA e União Européia

Para que ir: Apesar de estar muito próximo do Sol, ele deve ter gelo escondido em crateras protegidas do calor. É também um dos poucos corpos do sistema solar com um campo magnético.

Quem está na frente? EUA. A sonda americana Messenger foi lançada há mais de um ano e deve chegar ao planeta em 2008, 4 anos antes da decolagem das naves européias Bepi-Colombo (um conjunto de 2 sondas, para o caso de uma dar defeito).

Vênus

Candidatos: União Européia e Japão

Para que ir: Entender por que o efeito estufa fez com que Vênus – que há alguns bilhões de anos era semelhante à Terra, talvez até com oceanos – se tornasse o planeta mais quente do sistema solar. O passo seguinte é evitar que a Terra tenha um destino semelhante.

Quem está na frente? Goleada dos europeus, com a Venus Express, a ser lançada em agosto e com chegada a Vênus prevista para o início do ano que vem. Já a japonesa Planet-C só sai do chão em 2008.

Órbita da Terra

Candidatos: EUA, Rússia, China, União Européia, Índia, Brasil e iniciativa privada

Para que ir: Além de ser pré-requisito para qualquer viagem espacial, é uma mina de ouro para serviços como comunicação, navegação, monitoramento e defesa. E, em breve, pode se tornar um grande ponto turístico.

Quem está na frente? EUA, Rússia e China, que já conseguem mandar astronautas para lá. Empresários podem logo se juntar a esse time. Já Brasil e Índia podem criar em breve foguetes para mandar satélites.

Cometas

Candidatos: EUA e União Européia

Para que ir: Estudar do que são feitos, para o caso de um querer cair aqui. Além disso, eles têm materiais antigos que podem dar pistas sobre a origem do sistema solar.

Quem está na frente? EUA, com a nave Deep Impact. Em julho, ela vai disparar contra um cometa, abrir uma cratera e espiar o que tem lá dentro. Já a européia Rosetta, lançada em março de 2004, vai pousar um robô em outro cometa. Mas só chega lá em 2014.

Plutão

Candidatos: EUA

Para que ir: Refazer (ou não) o mapa do sistema solar. A questão é se Plutão é um planeta de verdade ou um dos objetos do Cinturão de Kuiper – corpos de rocha que sobraram da formação do sistema solar.

Quem está na frente? Por enquanto, ninguém. O governo americano ainda não decidiu se aprova ou não o lançamento da nave. Se sim, ela vai decolar em janeiro do ano que vem.

Marte

Candidatos: EUA e União Européia

Para que ir: Além de desenvolver a ciência – especula-se que Marte possa ter vida na forma de vírus e bactérias – o prestígio que se ganha com as missões ao planeta vermelho só é comparável ao das missões Apollo, que foram à Lua há 36 anos.

Quem está na frente? Empate entre Europa e EUA. Os europeus têm uma sonda mapeando o planeta e os americanos, dois robozinhos estudando o solo. No futuro, europeus querem trazer para a Terra amostras do solo marciano. Já os EUA planejam um robô ainda maior e mais equipado.

Lua

Candidatos: EUA, Japão e Índia

Para que ir: Etapa de preparação para chegar a Marte. Os cientistas querem aprender como construir e manter uma base lá para depois fazer a mesma coisa no planeta vermelho. De quebra, a Lua também possui minerais e gases raros, como o hélio 3, que pode ser um combustível ainda mais eficiente do que os usados atualmente em reatores nucleares.

Quem está na frente? EUA, que já conhecem o lugar. O próximo a ir para lá, no entanto, deve ser a Índia, que planeja lançar a sonda lunar Chandrayaan-1 em 2008.

Os veículos dos astronautas

China – Estação espacial

Deve ser colocada em órbita a partir de 2010. Por enquanto, tudo o que se conhece são modelos em tamanho real de algumas partes.

EUA – CEV

Até 2010, Veículos Tripulados de Exploração (CEV, na sigla em inglês) vão substituir os ônibus espaciais, condenados depois de tantos acidentes. O novo modelo precisa de um foguete auxiliar para entrar em órbita e não é reutilizável.

Rússia – Angara-100

Nos últimos anos, a Rússia tem apenas reabastecido a Estação Espacial Internacional. Agora, quer construir este enorme foguete. Semelhante ao Saturn V, que levou as naves Apollo até a Lua, pode lançar a nova geração de naves americanas enquanto o substituto dos ônibus espaciais não fica pronto.

Empresas – Estação Espacial Nautilus

A Bigelow Aerospace quer criar em 2010 um hotel ao redor da Terra, que também poderia ser usado como laboratório para cientistas. Ele será feito com módulos infláveis – que têm resistência próxima à do aço, por um custo menor.