Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Energia cósmica fora do normal

Radiação emitida pela explosão de quasares pode superar a sua própria energia.

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h51 - Publicado em 31 mar 1991, 22h00

Os quasares são objetos celestes mais energéticos do universo, mas, às vezes, superam a si mesmo. Em uma explosão de apenas três minutos, por exemplo, o quasar PKS0558504 emitiu radiação em quantidade equivalente a um milhão de anos de atividade solar. Embora acostumados com os exageros dos quasares, os cientistas não sabem o que pensar de tal explosão, detectada no final de 1989 e apenas agora analisada em detalhe. A teoria vigente afirma que o brilho tem uma origem fenomenal, resultado da destruição contínua de inúmeras estrelas por um buraco negro do tamanho do centro de uma galáxia.

Os destroços estelares, então, junto com gases interestelares, são atraídos e violentamente aquecidos pelo buraco negro, até passarem a emitir copiosos jorros de energia. Mas a explosão de agora é tão forte que deve ter destruído o vórtice luminoso de gases e destroços – ou seja o próprio quasar. Não há ainda dados para confirmar essa hipótese, mas, se foi de fato o que ocorreu, trata-se de algo nunca visto.

Publicidade