Clique e assine a partir de 8,90/mês

Microsoft Paint vai sobreviver – mas não como gostaríamos

O programa vai ficar de graça na Windows Store - mas não será mais instalado automaticamente em todas as máquinas.

Por Karin Hueck - Atualizado em 25 jul 2017, 11h48 - Publicado em 25 jul 2017, 11h42

Ontem a internet parou para chorar a morte do Paint. Ou, pelo menos, lamentar a notícia de que a Microsoft iria remover o Paint nas próximas atualizações, depois de 32 anos de existência.

Para quem, assim como a maioria dos mortais, não tinha conhecimentos básicos em editores de imagem, o Paint sempre foi um alento: servia para cortar imagens, transformar arquivos e até criar verdadeiras obras de arte. Foi por causa dessa versatilidade e de sua acessibilidade que o mundo ficou inconsolável ao perceber que teria de viver sem o programa.

Foram tanto os pedidos, tão sinceros tão sentidos, que hoje a Microsoft resolveu voltar atrás. Disse que não ia mandar o Paint de vez para a cova. Em vez disso, vai manter o editor de imagens para qualquer um baixar gratuitamente no Windows Store.

Isso, claro, não é a solução ideal para os artistas frustrados de plantão. A decisão não muda o fato de que o Paint não vai mais vir instalado automaticamente junto com qualquer Windows. Você poderá baixar o Paint em casa, mas a sua empresa dificilmente vai deixar você instalar o editor de imagem para criar obra-primas como essa abaixo, desenhada para celebrar a imortalidade do programa.

 

Redação/Superinteressante

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade