GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Ocidente x Oriente

Conheça os principais jogos que usam a guerra entre cristãos e muçulmanos como enredo.

Jones Rossi

Na vida real, a invasão do Irã pelos EUA é somente uma possibilidade, mas nos videogames ela já aconteceu. O jogo Assault on Iran simula a entrada de tropas americanas na terra dos aiatolás. Em contrapartida, um grupo islâmico não deixou barato e criou Quest for Bush, cuja missão é ir atrás do presidente americano. Conheça os principais jogos que usam a guerra entre cristãos e muçulmanos como enredo.

EUA no ataque

Assault on Iran

A Kuma Reality Games, sediada no Texas, berço do presidente Bush, disponibiliza de graça em seu site mais de 70 episódios de Assault on Iran. O jogo revoltou muçulmanos, mas já está na 3ª versão. Um dos episódios reproduz a caçada ao terrorista jordaniano Abu Musab Al-Zarqawi, morto em junho.

America’s Army

O Exército americano sempre foi craque em usar ferramentas de marketing para recrutar soldados. Pois a melhor delas é o ultra-realístico jogo America’s Army. Lançado em 2002, ele permite jogar no papel de soldados reais que estiveram no Iraque. Mais de 7,5 milhões de cópias foram baixadas.

Mercenaries 2

Sobrou até para a Venezuela. O Eixo do Mal dos videogames inclui o país governado pelo doidão Hugo Chavez, que é atacado por tropas americanas. Políticos venezuelanos revoltaram-se com a história, dizendo que é uma prévia de uma invasão americana. E olha que o jogo ainda nem foi lançado.

Árabes no ataque

Quest for Bush

Nada se cria, tudo se copia. A Global Islamic Media Front simplesmente modificou o jogo Quest for Saddam, trocando as imagens de Saddam por fotos de George Bush, do ex-secretário de defesa Donald Rumsfeld e até de Tony Blair. Há quem diga que a Al Qaeda está por trás dessa modificação.

The Stone Throwers

Criado pelo estudante sírio Mohammad Hamza, Stone Throwers coloca o jogador na pele de um palestino que deve enfrentar soldados israelenses atirando pedras. Hamza diz que a intenção não é propagar a violência, mas o jogo é cheio de homenagens à luta palestina. A estrela de Davi aparece dentro de uma caveira.

Under Ash

A princípio se parece com um jogo de tiro comum. A diferença está no alvo: soldados israelenses. Em Under Ash, o jogador pode praticar ações terroristas e até emboscadas contra o Exército de Israel. A história do jogo se passa entre 1999 e 2002, período em que ocorreu a 2ª Intifada.