Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Quais são os carros mais rápidos do mundo?

Ele seria a carta dos sonhos para qualquer jogador de Super Trunfo: tem 1 001 cavalos de potência ¿ quase o dobro das Ferraris mais nervosas.

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h48 - Publicado em 30 abr 2006, 22h00

Alexandre Versignassi e Fernando Badô

O astro-mor é o Bugatti Veyron. Ele seria a carta dos sonhos para qualquer jogador de Super Trunfo: tem 1 001 cavalos de potência – quase o dobro das Ferraris mais nervosas. E chega a 407 quilômetros por hora. Isso é mais do que a maior velocidade já atingida por um Fórmula 1 num GP. O coração do bicho é um motorzão de 16 cilindros cheio de anfetaminas – no caso, 4 turbocompressores que fazem seu propulsor 8.0 se comportar como se fosse um 16.0. E fazer um motor desses funcionar não é fácil. O problema: em qualquer carro, só um quarto da força obtida com a queima de combustível impulsiona as rodas. O resto é energia que vai para o espaço. Isso significa que um pangaré de 50 cv, por exemplo, solta 150 cv em forma de calor. Já é muito. Em um Veyron esse desperdício chega a assombrosos 3 mil cv. Isso dá 2 megawatts de energia – uma pequena usina termoelétrica. Para resfriar tudo isso, então, a gente precisa de uma cachoeira. E é mais ou menos o que o Veyron tem lá dentro. São 10 radiadores, com capacidade para 40 litros de água (contra 2 litrinhos dos carros normais). Para alimentar essa usina, aliás, você precisa de muita, muita gasolina. O consumo chega a 1,3 quilômetro por litro quando você está com o pé embaixo. Em outras palavras, são 5 litros de combustível virando fumaça a cada minuto. Um desastre ecológico sobre rodas. Bom, é provável que, até você juntar os 2,6 milhões de reais que a Bugatti cobra pelo esportivo, o petróleo já tenha acabado mesmo. Mas não fique triste: existe um carro elétrico quase tão rápido quanto o Veyron. Olha aqui do lado.

U.S. Army Team

Categoria: Dragster

Velocidade: 539 km/h.

Nitro

O segredo da velocidade obscena do dragster está no tanque. Ele queima nitrometano, um composto que leva oxigênio na fórmula. É como se o nitro viesse com um “turbo” embutido, já que o oxigênio acelera a combustão dentro do motor. E como: ele bebe 4 litros por segundo.

Insaciável

O modelo lá em cima cravou 539 km/h em 2005. Mas não tem ano em que algum desses carros de 6 mil cavalos não quebre o recorde de velocidade dos dragsters.

AC Propulsion Tzero

Categoria: Elétrico

Velocidade: 225 km/h.

Ferrari sem fumaça

A velocidade final do carro elétrico mais veloz do mundo não tem nada demais. Mas a aceleração tem. Ele vai de 0 a 100 km/h em 3,6 segundos. É o mesmo pique de uma Ferrari F-50! Só que o preço também não fica muito atrás: R$ 560 mil.

Ejaculação precoce

Ele acelera tudo isso porque motores elétricos chegam à potência máxima instantaneamente, enquanto os à combustão demoram. Além disso, ele tem autonomia de gente grande: 500 km.

Honda Bonneville 400

Categoria: Fórmula 1

Velocidade: 413 km/h.

Recorde forçado

Estabelecer a maior velocidade já alcançada por um F-1 foi um lance de marketing da Honda. Eles pegaram um modelo 2005, levaram para uma reta sem-fim (a planície de Bonneville, nos EUA) e sentaram o pé para quebrar a barreira dos 400 km/h.

Recorde pra valer

Em pista, que é onde vale para um F-1, a maior marca é de 372,6 km/h. Obra do McLaren V10 de Juan Pablo Montoya, em 2005, durante os treinos para o GP da Itália.

Corvette Callaway Sledgehammer

Categoria: Protótipo

Velocidade: 409 km/h.

Retrô

Continua após a publicidade

Parece um inocente Miúra. Mas quem vê cara não vê motorzão. Esse avô dos carros tunados, feito em 1988, traz um V8 biturbo que rende 898 cv e acelera de 0 a 100 km/h em 3,9 segundos. E a velocidade final… Nossa mãe do céu!

Rei da oficina

Foi todo montado no braço. O bloco do motor veio de um Stock Car, os pistões são de um fabricante, o câmbio de outro… E o toca-fitas estéreo de mais outro! Custou 400 mil dólares, fora a mão-de-obra.

Thrust SSC

Categoria: a Jato

Velocidade: 1 228 km/h.

Concorde

É o recordista absoluto e vai continuar sendo por muito tempo. Mas é difícil chamar esse troço de carro. O Thrust aqui é um cockpit instalado entre duas turbinas de caça. Foi feito em 1997 para quebrar a barreira do som. E hoje descansa em um museu.

Carro de Itu

Tudo ali é grande: são 10 toneladas, 110 mil cv de potência (140 motores de F-1), 18,2 litros de querosene por segundo… Já a aceleração não é tão maior que a do Bugatti. Ele vai de 0 a 100 km/h em 2,8 segundos.

Bugatti Veyron

Categoria: de série

Velocidade: 407 km/h

Exagerado

Ele desbancou o Koenigsegg CCR (388 km/h) do posto de mais veloz entre os carros de série. A aceleração também é recorde: 0 a 100 km/h em 3 segundos e 0 a 400 km/h em 21 segundos.

Varejão

A Volkswagen, dona da marca Bugatti, gastou 400 milhões de dólares no carro. E acha que as vendas não vão dar lucro . Mas beleza: a idéia é que a imagem do Veyron promova os outros Bugattis.

Veyron mostra tudo

Confira a nudezda máquina maissexy do planeta

De onde ele tira 1 001 cavalos

1. O Veyron não tem um motor. Tem dois. Pois é: seu propulsor W16 é feito de dois motores V8 encaixados lado a lado (V + V = W). Há nada menos que 64 válvulas (os carros comuns têm 16) para lançar combustível dentro dos 16 cilindros .

2. Mas a gasolina não age sozinha. O combustível precisa de oxigênio para detonar – vão uns 10 quilos de ar para cada litro de gasolina. Então, quanto mais ar tiver lá dentro, mais combustível vai para a queima. E a potência bomba. Só que, se você quiser 1 001 cv, precisa de ajuda para encher os “pulmões” do motor.

3. É para isso que servem os 4 turbocompressores do Bugatti. Eles tragam dezenas de metros cúbicos de ar lá de fora e comprimem tudo para jogar nos pistões. Com essa lufada extra, o motor consegue queimar 1 litro de combustível a cada 12 segundos. Esse é o segredo para passar dos 400 km/h.

Respiradouro

Só o motor precisa sugar 45 metros cúbicos (54 quilos) de ar por minuto para funcionar em altas rotações. É o dobro do que outros superesportivos necessitam. Para não asfixiar o Veyron, então, os engenheiros colocaram essas tomadas de ar tipo “snorkel” aqui em cima.

Breque antimulta

Chegar a 400 km/h custa 1 milhão de euros. Fazer essa velocidade evaporar em 10 segundos, não tem preço. Tudo graças aos gigantescos freios de cerâmica de carbono, desenvolvidos por engenheiros espaciais e que podem ser forçados até o talo sem superaquecer .

Pneu de caminhão

A máquina esbanja no quesito retaguarda. Os pneus de trás são os mais largos que já foram parar num carro de passeio: têm 36 cm – uns 5 cm a mais que alguns pneus para boléia de caminhão. Debaixo da borracha, tem uma cinta plástica que permite ao carro andar de pneu furado por 200 quilômetros. Estepe? Não precisa.

Continua após a publicidade

Publicidade