Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

TV 3D Brasil 2014 – Tridimensional

Você vai ver a rede balançar na sua sala, mas não espere assistir às receitas da Ana Maria Braga em 3D

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h47 - Publicado em 16 abr 2011, 22h00

Alexandre Carvalho dos Santos

Se o vexame do time de Dunga foi visto em alta definição, a copa de Neymar, em 2014, será em 3D. E você não vai precisar ir ao cinema para isso. Segundo a empresa de pesquisas iSuppli, 2010 deve terminar com 4,2 milhões de aparelhos de TV 3D vendidos no mundo. Em 2015, esse número vai pular para 78 milhões.

A evolução mais esperada – e por enquanto mais incerta – é a eliminação dos óculos. Os modelos para a TV que estão à venda hoje já representam um desenvolvimento comparando com o par que você recebe no cinema. Eles têm pequenas telas de lcd no lugar das lentes, que operam como obturadores de máquinas fotográficas: bloqueiam as imagens para cada olho de forma alternada, e numa velocidade de 120 vezes por segundo – é por isso que você não percebe os bloqueios.

Mas tanto avanço pode ser desnecessário no futuro. Em maio, a fabricante japonesa VMJ apresentou uma TV que exibe 3D a olho nu. O aparelho tem sobre a tela uma espécie de película cheia de fendas que faz com que cada olho veja uma imagem diferente, provocando a sensação de profundidade. A TCL também já vende um modelo de 42 polegadas no mercado chinês.

Só que, para chegar às massas, a tecnologia tem que evoluir. Os modelos ainda exigem que você esteja em ângulos específicos para ver a imagem com perfeição – tudo bem, se for para assistir a um filme sozinho, mas inviável para jogos com a galera. E, por enquanto, ainda pesam no bolso: entre R$ 40 mil e R$ 50 mil.

A qualidade da imagem também deve melhorar. A Associação de Consumidores de Eletrônicos dos EUA (CEA) aprovou recentemente a versão 1.4 da conexão HDMI, que é um cabo para transmissão digital de informações de áudio e vídeo. A nova versão, além de outras vantagens, vai permitir resolução pelo menos duas vezes maior que o Full HD atual nas reproduções tridimensionais. No Brasil, a expectativa é de que os aparelhos com a conexão 1.4 se popularizem a partir de 2012.

 

 

Canais 3D

Você não terá que alugar o Avatar sempre que quiser explorar o 3D do seu televisor. Nos próximos anos, haverá uma oferta significativa de programação para a tecnologia.

A americana ESPN saiu na frente, lançando um canal 3D. É isso mesmo. Começou com a transmissão de jogos da Copa do Mundo e promete transmitir até 85 eventos esportivos ainda em 2010. Mas não fica aberto direto. Assim como acontece no pay-per-view, o canal se abre momentos antes do jogo, transmite a partida e fecha logo em seguida.

Continua após a publicidade

A BSkyB também se preparou para o lançamento do Sky 3D – o primeiro do gênero na Europa – transmitindo jogos em 3D para 1 500 pubs no Reino Unido e na Irlanda. A partir de outubro, os assinantes da Sky terão acesso ao novo canal, que também vai transmitir filmes.

Mas a maior expectativa está guardada para 2011, nos EUA, quando será lançado o primeiro canal 24 horas 3D. Ainda sem nome, será uma associação entre a Discovery, a Sony Pictures e a Imax. Os chefões do novo canal fazem mistério, mas espera-se um mix de filmes, programas de esporte e de história natural, que é o forte do Discovery Channel.

 

 

O que você vai ver
Ninguém precisa ver as catástrofes no Jornal Nacional sair da tela; além disso, a tecnologia custa 30 a 50% mais para os produtores, segundo Jeremy Darroch, chefe da BSkyB. Confira o que vai valer a pena ver em 3D.

ESPORTES
É a grande aposta. Não é nenhuma coincidência que a ESPN seja pioneira no lançamento de um canal 3D.

FILMES
Já foram sucesso no cinema, e agora vão emplacar também na sua sala de TV.

JOGOS ELETRÔNICOS
A tecnologia tem tudo a ver com um ambiente em que você luta com monstros ou pilota carros de corrida.

PORNÔ
Especialistas reunidos no Mercado Internacional de Programas de Televisão, em Cannes, apostaram que os espectadores vão pagar para ver peitos e bundas em efeito tridimensional.

 

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade