Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

WhatsApp Pay: como vai funcionar o sistema de pagamentos pelo aplicativo

Serviço começou nesta semana e, por ora, só permite transferências entre pessoas físicas. Saiba como usá-lo.

Por Rafael Battaglia 7 Maio 2021, 16h20

Na última terça-feira (4), o WhatsApp anunciou um novo recurso. A partir de agora, será possível transferir dinheiro para outras pessoas dentro do aplicativo – sem pagar taxas.

O recurso não é exatamente uma novidade. Em junho de 2020, o WhatsApp fez um anúncio sobre a funcionalidade. Na época, já estava definido que a Cielo seria a responsável pelo processamento das operações, e clientes de instituições como Banco do Brasil, Nubank e Sicredi já estariam habilitados.

Contudo, o Banco Central e o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) bloquearam a implementação do novo serviço, sob a justificativa de que seria preciso fazer análises sobre o seu funcionamento. Em março, o WhatsApp Pay foi liberado.

Como funciona?

O serviço é baseado no Facebook Pay, também autorizado pelo Banco Central. O Brasil, junto com a Índia, são os primeiros países a acessar o novo recurso. Não à toa, os dois são os maiores mercados do WhatsApp no mundo. Por aqui, são cerca de 130 milhões de usuários; na Índia, mais de 450 milhões.

A opção de transferência ficará disponível no botão com o símbolo de um clipe de papel, ao lado do campo para redigir mensagens, que hoje é usado para compartilhar uma foto, arquivo ou contato (nos iPhones, é o botão “+”).

Há um limite. Por enquanto, as transações não podem ultrapassar R$ 1.000. Além disso, não se pode fazer mais do que 20 transferências por dia, e há um teto mensal de R$ 5.000. Quem atingir o valor ficará impossibilitado de usar o recurso.

Quem pode usar?

Por ora, só é possível transferir dinheiro de CPF para CPF – ou seja, entre pessoas físicas. No futuro, o WhatsApp planeja habilitar o serviço para CNPJs, com um porém: para empresas, haverá taxas a serem cobradas.

Continua após a publicidade

Quem quiser usar o serviço precisa de um cartão de débito (cartões pré-pagos ou múltiplos, com a função débito ativada, também funcionam). As bandeiras aceitas no momento são Visa e Mastercard. Já os bancos são: Banco do Brasil, Bradesco, Inter, Itaú, Mercado Pago, Next, Nubank, Sicredi e Woop, banco digital da financeira Sicredi.

Para quem selecionar a opção de transferência pela primeira vez, será aberta uma página de cadastro no Facebook Pay. Nela, será preciso criar um PIN – uma senha de seis dígitos. O cadastro segue com nome, CPF, endereço e, por fim, os dados do seu cartão.

Todo esse procedimento, claro, só precisará ser feito uma única vez. Você pode conferir um passo a passo aqui.

O WhatsApp também terá uma tela de histórico, na qual aparecerão todas as transações feitas e o status de cada uma (“Efetuado”, “Pendente”, etc.). É que, para uma transferência valer, a pessoa que recebe o dinheiro deverá aceitá-la. Caso isso não aconteça em até dois dias, a grana volta para a conta original.

Pelo alto número de usuários no Brasil, nem todo mundo ainda possui o recurso, que será disponibilizado aos poucos. Contudo, dá para “convidar” pessoas, já que, ao fazer uma transação para um contato que não possua a função instalada, ela será automaticamente habilitada.

Quais cuidados devo tomar?

Além da chave de segurança (PIN), é possível também habilitar o Face ID (reconhecimento facial) ou a biometria para autorizar as transações – em dispositivos que possuam tais tecnologias. Segundo o WhatsApp, todos os dados de pagamentos e do cartão são criptografados, inclusive entre o celular e os servidores da plataforma. Em toda transferência, os cartões são verificados para saber se é possível usá-los.

Contudo, como toda atividade digital, é preciso cautela. No passado, o WhatsApp já teve episódios de vazamento de dados, e golpes dentro do aplicativo têm se popularizado – com o recurso de transferência, novos podem surgir.

Por isso, vale o lembrete: sempre verifique para quem você está enviando dinheiro. É bom também aumentar as linhas de defesa da sua conta, para dificultar a vida de hackers. Neste texto, por exemplo, você aprende como habilitar a autenticação em dois fatores.

Por último, algo para ficar atento: o WhatsApp Pay não cancela transações já finalizadas. Enviou dinheiro para o contato errado? A devolução vai depender da outra pessoa.

Continua após a publicidade
Publicidade