SUPER Novas

Pessoas bonitas são mais egoístas

Experiência feita por 3 universidades comprova: quanto mais belo é o rosto de uma pessoa, mais individualista ela é

por Fernando Badô

Vários estudos já constataram que as pessoas bonitas vivem mais e ganham melhores salários do que as feias. Mas uma nova experiência, elaborada pelas universidades de Barcelona, Madri e Edinburgo, revelou um efeito indesejável na beleza: as pessoas atraentes têm menos consideração com as outras e colocam seus interesses em primeiro lugar. Em suma, são mais egoístas.

Os pesquisadores reuniram um grupo de 160 homens e mulheres da Espanha e do Reino Unido, com vários graus de beleza. Esses voluntários foram divididos em duplas para jogar um jogo muito simples: uma pessoa precisava decidir se cooperava ou não com a outra. Havendo cooperação, cada uma ganhava 90 pontos. Se uma delas não quisesse cooperar, levava 160 pontos - e a outra ficava com apenas 20. Já se ambas fossem egoístas, cada uma ganhava 30 pontos. Os voluntários também tiveram o rosto analisado por um software que mede a simetria facial (quanto mais simetria, mais beleza).

Resultado? As pessoas atraentes cooperaram em apenas 45,1% dos casos - contra 67,3% das médias ou feias. "Os indivíduos com rosto mais simétrico sofrem menos rejeição. Por isso, ao longo da evolução, eles se tornaram mais autossuficientes e menos propensos a cooperar", diz o estudo, que foi conduzido pelo biólogo Enrique Turiegano. Isso não significa, claro, que uma pessoa bela seja automaticamente má. Mas, se você é bonito por fora, cuide também da sua outra beleza - a interior.

publicidade

anuncie

Super 340-b - Universo - o cosmos segundo a SUPER As melhores reportagens dos 27 anos da SUPER sobre o espaço, o tempo e os limites da ciência - agora revistas e atualizadas. Uma viagem do infinito ao infinitesimal. Como você nunca viu. Assine a Super Compre a Super

Superinteressante ed. 340-b
novembro/2014

Universo - o cosmos segundo a SUPER
As melhores reportagens dos 27 anos da SUPER sobre o espaço, o tempo e os limites da ciência - agora revistas e atualizadas. Uma viagem do infinito ao infinitesimal. Como você nunca viu.

- sumário da edição 340-b
- folheie a Superinteressante

Você está na área: Ciência

publicidade

anuncie