Fotos

10 grandes ditadores que ainda estão vivos

Eles controlaram - e algumas vezes ainda controlam - nações inteiras com punhos de ferro. Conheça agora 10 ditadores vivos nos dias de hoje.

Natália Becattini

Hitler, Mussolini e Franco: infelizmente nem todos os ditadores são parte somente da história. Mesmo após a Primavera Árabe, que em 2011 balançou regimes ditatoriais em todo o mundo, muitos ditadores permanecem no poder. Outros já não mandam mais, mas passaram o poder para familiares, dando continuidade aos regimes totalitários. Saiba mais sobre eles nessa galeria da SUPER. Fidel Castro chegou a ser o ditador há mais tempo no poder em todo o mundo, até que ele passou o poder ao irmão, Raul Castro, em 2006. Fidel começou seu governo em 1959, ficando décadas no poder. Durante esse período, nunca foi escolhido por meio de eleições diretas e impediu a liberdade de imprensa. Ex-presidente da China, o engenheiro e político Hu Jintao entrou na vida política em 1965, quando se filiou ao Partido Comunista da China. Durante a década de 80 foi empossado como o nome do partido no Tibet, época em que foi aplicada a lei marcial e manifestantes desarmados foram executados. Virou presidente da China em 2003, após um congresso do partido, permanecendo no poder até março de 2013. Islam Karimov é o presidente do Uzbequistão desde o começo da década de 90. Quando foi reeleito, dez anos depois, os Estados Unidos afirmaram que a eleição de Islam Karimov não tinha sido livre e nem justa. Karimov também foi várias vezes criticado pela comunidade internacional por atos contra a liberdade de imprensa e os direitos humanos. O terceiro líder supremo da Coreia do Norte assumiu o poder somente no final de 2011, após a morte do pai, o ditador Kim Jong-il. Mesmo com pouco tempo no poder, King Jong-un mantém as práticas ditatoriais no país. Em agosto deste ano, uma dançarina e supostamente ex-namorada de King Jong-un foi executada, juntamente com um grupo de músicos, todos acusados de vender pornografia. O Presidente do Sudão chegou ao poder em 1989, quando o país passou por um golpe de estado. Em 2009, a Corte Penal Internacional emitiu mandado de prisão para Omar Al Bashir, acusado de genocídio. Ele segue no poder. Monarca da Arábia Saudita desde 2005, é considerado por muitos um ditador teocrático, sendo acusado de perseguir opositores políticos e também religiosos. O tratamento recebido pelas mulheres e pelos homossexuais na Arábia Saudita também é um ponto muito ruim no currículo no Rei Abdallah. Neste mês Robert Mugabe tomou posse para o sétimo mandato consecutivo como presidente do Zimbabwe. No poder há 33 anos, Mugabe é acusado de genocídio por organismos internacionais. Segundo a Anistia Internacional, Mugabe matou ou torturou 70 mil pessoas em 2002. Com quase 90 anos, é um dos ditadores mais velhos do mundo. Um dos políticos africanos há mais tempo no poder, Teodoro Obiang assumiu a presidência da Guiné Equatorial em 1979. É acusado de assassinatos e sequestros, além de receber na própria conta bancária boa parte do dinheiro que o país ganha com petróleo. O rei Mswati III chegou ao trono da Suazilândia, um país no sul da África, em 1986, após a morte do pai dele, Sobhuza II. E os mais de 20 anos de reinado foram cheios de polêmica: recentemente uma jovem pediu asilo ao Reino Unido depois que Mswati III quis torná-la sua 14º esposa. Mswati III também chegou a defender que os portadores do vírus HIV fossem esterilizados, e isso num dos países que mais sofrem com a doença no mundo. Bashar al Assad assumiu o poder da Síria após a morte do pai, Hafez al-Assad, que governou o país durante quase 30 anos. Após a chamada 'Primavera Árabe', que derrubou vários governos totalitários na região, Bashar al Assad prometeu abrir a política do país. Recentemente o exército sírio foi acusado de usar armas químicas contra manifestantes, fato que está sendo investigado pela ONU.

publicidade

anuncie

publicidade

anuncie

OUTROS INFOGRÁFICOS