Clique e assine a partir de 8,90/mês
Bruno Garattoni Vencedor de 12 prêmios de Jornalismo. Editor da SUPER.

Novo Apple Watch mede o nível de oxigênio no sangue

Por Bruno Garattoni - Atualizado em 15 set 2020, 18h25 - Publicado em 15 set 2020, 16h03

Empresa mostrou relógio que funciona como oxímetro, permitindo detectar sintoma da Covid-19; iPads também ganharam novas versões, com processador A14 Bionic – a primeira CPU a ser fabricada com tecnologia de 5 nanômetros, um passo à frente da Intel e da AMD

Acabou de terminar a apresentação dos novos produtos da Apple – como a anterior, de junho, pré-gravada e transmitida pela internet. Os novos iPhones, que tradicionalmente são revelados em setembro, não apareceram: seu lançamento, como a empresa havia dito, deverá atrasar “algumas semanas”. 

Apple/Divulgação

O Apple Watch Series 6 vai custar US$ 399 nos Estados Unidos. Mas a empresa também mostrou uma versão mais barata do relógio, o Apple Watch SE, de US$ 279. Ele tem a mesma tela e o mesmo processador do Series 6, mas não possui oxímetro integrado. Uma diferença de preço considerável para uma tecnologia que, isoladamente, não é cara – você compra um oxímetro de dedo, em qualquer farmácia, por 200 reais. 

A empresa anunciou o Apple One, um pacote que inclui todos os seus serviços online (Apple Music, Apple TV+, Apple Arcade, Apple News, iCloud e o novo iFitness, com aulas de ginástica pela internet) e vai custar US$ 30 mensais nos EUA. 

Em seguida, Tim Cook apresentou a nova versão do iPad – trata-se apenas de um “spec bump”, ou seja, ele tem uma CPU mais rápida (a A12 Bionic) mas mantém o mesmo design e tela, de 10,2 polegadas. É compatível com a caneta Apple Pencil, vem com o sistema operacional iPadOS 14 e vai custar US$ 329 nos EUA.  

Apple/Divulgação

Já o iPad Air foi redesenhado, com bordas mais finas e quinas quadradas – parece uma versão menor do iPad Pro. Tem tela de 10,9 polegadas, sensor de impressão digital (integrado ao botão liga/desliga, na parte de cima do tablet) e a nova CPU A14 Bionic, primeira a ser produzida com tecnologia de 5 nanômetros (a AMD ainda está nos 7 nm, e a Intel vem tendo dificuldade em fazer circuitos menores que 10 nm). O tablet vai custar US$ 600 nos EUA. A Apple encerrou o evento anunciando a liberação, a partir de amanhã, do iOS 14 (sobre o qual falamos melhor aqui).  

Apple/Reprodução

Não foi uma apresentação bombástica, mas teve novidades interessantes. O Apple Watch Series 6 tem um bom argumento de venda com o oxímetro (com a ressalva do preço). O iPad Air ganhou um belo upgrade, com destaque para o processador. E o domínio da tecnologia de 5 nanômetros, no A14 Bionic, é um sinal promissor para a transformação dos Macs: que vão migrar para processadores de arquitetura ARM, desenhados pela Apple, a partir deste ano. É provável que os novos chips da empresa tenham performance competitiva, ou talvez até (bem) superior, aos atuais x86 da Intel. A conferir.

Continua após a publicidade
Publicidade