Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Ciência Maluca Por Blog As pesquisas mais importantes para você compreender a sua vida - e as mais inusitadas para você entender todo o resto. Por Tiago Jokura

Cogumelos alucinógenos ajudam a parar de fumar

Por Carol Castro Atualizado em 21 dez 2016, 09h54 - Publicado em 15 set 2016, 19h21
iStock | Veresovich
iStock | Veresovich

Parar de fumar não é fácil. Em média, só 30% dos fumantes conseguem passar um ano inteiro longe do vício. Isso se eles entrarem de cabeça em tratamentos médicos e psicológicos. Caso não o façam, as chances de parar de vez diminuem ainda mais.

Mas cientistas encontraram um novo tratamento que pode surtir efeito melhor do que qualquer outro remédio: cogumelos alucinógenos.

Funcionou bem com 15 fumantes de nível hard: todos fumavam, em média, um maço de cigarros por dia. E o hábito já durava há mais de três décadas. Ao longo de um mês, todos passaram por um tratamento psicológico para controlar melhor os pensamentos negativos.

Na quinta semana, o tratamento ficou menos tradicional: os 15 voluntários tomaram uma pílula com uma “dose moderada” e pura de psilocibina, a substância alucinógena dos cogumelos. Duas semanas depois, tomaram outra pílula mágica, dessa vez com uma dosagem maior. Na 13º semana, eles poderiam tomar ou não mais uma dose de psilocibina.

Um ano depois, os pesquisadores reencontraram suas cobaias. E descobriram que 10 deles estavam livres do vício há 12 meses. Trinta meses depois desse encontro, só um desses ex-fumantes haviam voltado a fumar. Ou seja, esses voluntários superaram a média: 60% deles conseguiram mesmo parar de fumar.

O segredo? Bem, segundo os próprios ex-fumantes, a viagem com a psilocibina teve um “profundo significado espiritual”. Eles listaram a experiência como um dos cinco momentos mais importantes e significantes de suas vidas. “Nosso estudo mostra que essas experiências mudam as prioridades de vida das pessoas, que deixam de apenas buscar prazer fácil, e priorizando outros aspectos, como a família”, contou Matthew Johnson, psiquiatra e autor da pesquisa, ao NyMag.

A pesquisa, claro, tem alguns buracos: não houve um grupo de controle (outros voluntários que, durante o mesmo período, não experimentaram cogumelos alucinógenos) e o número de participantes era bem pequeno. Ainda assim, pode servir para abrir espaço para tratamentos menos tradicionais. Quem sabe.

Leia mais:
LSD deixa você otimista
Pessoas que fumam maconha são mais magras
Por que maconha dá larica?

Continua após a publicidade
Publicidade