Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Fundo vermelho liso. Ciência Maluca Por redação Super Este blog não é mais atualizado. Mas fique à vontade para ler o conteúdo.

Homens das cavernas tinham piercings e tatuagens no pênis

Por Thiago Perin Atualizado em 21 dez 2016, 09h54 - Publicado em 11 nov 2011, 12h44

E você aí se achando supermoderno.

Um grupo de urologistas franceses e espanhóis, depois de analisar uma série de objetos de arte do período Paleolítico (grande parte deles tem um formato, hum, fálico, daí o interesse de UROLOGISTAS na história), propôs a teoria de que os homens da época tinham piercings e tatuagens em seus órgãos genitais. Há, tipo, 2 milhões de anos.

Entre os itens disponíveis, foram encontrados 42 artefatos com inspiração fálica, dos quais 30 exibiam marcas que, eles supõem, tinham fins decorativos. “As incisões, linhas concêntricas, superfícies salientes, buracos e séries de pontos nos objetos que estudamos representam fielmente cortes e cicatrizes derivados de piercings e tatuagens na pele do pênis”, afirmam.

Dá uma olhada nessa imagem, retirada do estudo, para entender a gravidade da situação.

Continua após a publicidade

Sentiu uma dorzinha aí também?

Certeza absoluta não dá para a gente ter, já que encontrar um pênis fossilizado com piercings e tatuagens por aí é um tanto improvável. Mas, segundo os caras, as informações se encaixam numa boa: tudo indica que a “decoração” peniana era feita para diferenciar os grupos que viviam em comunas, tipo uma marca de família — alguns dos padrões de pintura encontrados nos pênis de pedra estão também nas paredes de cavernas lá na Europa.

Crédito da foto: flickr.com/blarfiejandro

Leia também:
Cientista quer recriar dinossauros (a partir das galinhas!)
Os dinossauros tinham piolhos?
Cientistas mumificam taxista no Reino Unido

Continua após a publicidade

Publicidade