Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Ciência Maluca Por redação Super Este blog não é mais atualizado. Mas fique à vontade para ler o conteúdo.

LSD pode ajudar a curar alcoolismo, dizem cientistas

Por Carol Castro Atualizado em 21 dez 2016, 10h08 - Publicado em 4 jul 2012, 18h49

Há muito tempo a ciência tenta tirar das drogas um lado bom. E, em alguns casos, elas realmente se mostram úteis: ajudam a curar doenças – ou pelo menos amenizar as dores delas. A maconha é papo antigo. Mas quando uma clínica de tratamento contra o alcoolismo decide apostar em outra droga, mais psicodélica e nada natural, conhecida como LSD?

Parece absurdo? Pois aconteceu em algumas clínicas durante a década de 60 (quando a droga corria solta nas mãos dos hippies). E funcionou. Dois pesquisadores do Instituto Norueguês de Tecnologia pesquisaram seis clínicas que, entre os anos de 1966 e 1970, deram uma única dose do ácido para alguns pacientes – outros receberam o tratamento padrão.

Segundo o estudo, o LSD os ajudou a deixar o vício. Entre aqueles que tomaram a droga houve uma queda de 59% no consumo de álcool. Já a média de redução nas bebedeiras entre quem recebeu o tratamento normal ficou em 38%. Seis meses depois de deixar a clínica, os pacientes que haviam tomado LSD tinham 15% mais chances de ficarem sóbrios.

O que mudou depois de uma dose da droga? Tudo. Os cientistas acreditam que a viagem psicodélica os ajudou a encarar os problemas e a vida de outra forma. E isso parece ser fundamental para colocar um fim aos vícios. (O chá do Daime parece ter o mesmo efeito e alguns psiquiatras recomendam o uso na luta contra o alcoolismo – veja aqui)

Mas, calma, nem o CIÊNCIA MALUCA, nem os cientistas fazem apologia ao uso de qualquer tipo de droga. Eles alertam que tomar LSD em casa, sozinho, (ou na balada, com uma galera) não ajuda em nada. A ideia é ajudar os pacientes a encontrarem respostas e mudanças dentro de si – e não substituir um vício por outro.

Continua após a publicidade

Polêmico, né? O que você acha do uso de drogas no tratamento de doenças?

(Via Scientific American)

Crédito da foto: flickr.com/ cayusa

Leia mais:

Homofobia pode relevar homossexualidade

Fumar maconha não prejudica o pulmão, afirmam cientistas

Beber moderadamente prolonga a vida de homens após infarto

Continua após a publicidade
Publicidade