Clique e assine com até 75% de desconto
Contando Ninguém Acredita Por Blog As notícias mais bizarras e surreais do mundo

Papagaio pode ser usado como testemunha em homicídio

Por Lucas Massao Atualizado em 4 jul 2018, 20h34 - Publicado em 8 jun 2016, 16h50

Quando a polícia chegou à casa de Martin Duran, de 45 anos, em Ensley, no estado americano do Michigan, tudo parecia indicar que um duplo homicídio tinha ocorrido. Martim estava deitado no chão com um tiro no peito e sua mulher, Glenna, tinha um ferimento de bala na cabeça, mas conseguiu chegar ao hospital com vida.

Papagaio

(Cena do crime – reprodução)

Agora, os pais de Martin querem provar que, ao contrário do que indicam os relatórios policiais, o seu filho foi morto pela própria esposa. Para justificar a sua posição, os Duran se baseiam em um vídeo que mostra Bud, o papagaio-cinzento de Martin, dizendo “não atira, c******!”, atuação representando uma discussão do casal momentos antes dos disparos. Confira:

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=eIR7LvdnK70?feature=oembed&w=500&h=281%5D

De acordo com Lillian, mãe de Martin, o papagaio “escuta tudo e tem a boca mais suja das redondezas”. Agora, a Polícia Estadual do Michigan colocou a esposa na lista de suspeitos, sugerindo que ela tentou executar um “homicídio seguido por suicídio”. Recuperada dos ferimentos, Glenna já negou as acusações. “Eu tenho certeza de que não matei o meu marido”.

Para Charles, pai de Martin, o vídeo de Bud xingando pode ser uma prova importantíssima durante a investigação. “Eu pessoalmente acho que ele estava lá, se lembra do que aconteceu e agora está dizendo”. Através de comunicado, o promotor do Condado de Newaygo, Robert Springstead, diz ter ciência do pássaro falante, apesar de ainda não ter visto o vídeo. A dona, que não quis se identificar, de uma loja de animais em Grand Rapids afirma que não é incomum papagaios africanos imitarem vozes. “Definitivamente é algo já ouvido por ele antes. Caso seja algo recente, ele pode até repetir mais vezes”.

Com The Independent

Continua após a publicidade
Publicidade