Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Oráculo Por aquele cara de Delfos Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail maria.costa@abril.com.br.

Eu tenho o dever moral de me vacinar contra a covid-19?

O que três filósofos diriam a respeito.

Por Bruno Vaiano 16 jul 2021, 16h08

Os leitores fieis já sabem que às vezes o #OráculoSuper invoca as mentes de filósofos famosos para responderem às perguntas. Vamos ver o que alguns deles teriam a dizer sobre a imunização contra a covid-19?⠀

John Stuart Mill (1806 – 1873) ⠀

Sim. Na perspectiva utilitarista, você só pode negar vacina se o risco que ela representa para você for maior do que o risco de que alguém morra porque você se negou a contribuir com sua parcela de responsabilidade pela cobertura vacinal. Como as vacinas contemporâneas são extremamente seguras, sua liberdade acaba onde começa o direito do outro à vida.⠀

T.M. Scanlon (1940)⠀

Sim. Este influente filósofo contemporâneo propôs o contratualismo. Grosso modo, a ideia é que uma ação está errada quando você não é capaz de dar um argumento razoável para as pessoas afetadas por ela. Ou seja: a não ser que haja um motivo médico ou algo equivalente, está vetado negar a vacina.⠀

Immanuel Kant (1724 – 1804)⠀

Sim. Mesmo que uma única pessoa sem vacina não impacte a cobertura vacinal, ela está errada porque sua decisão não pode ser tomada como conduta universal: se muitas pessoas negassem, não haveria cobertura alguma. ⠀

Estranhou que todos os filósofos concordam desta vez? Foi uma escolha deliberada da Super. Questão de saúde pública: vida acima de tudo. Assim que chegar a vez da sua faixa etária, vacine-se. ⠀

Publicidade