Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Oráculo Por aquele cara de Delfos Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail bruno.vaiano@abril.com.br.

Qual é a diferença entre um dowload torrent e um normal?

O download clássico dos cinéfilos na internet pré-streaming é uma vaquinha de bits: vários PCs de todo o mundo contribuem cada um com uma parte do arquivo.

Por Bruno Vaiano 1 dez 2020, 12h17

É graças a perguntas assim, meus caros, que o sábio Oráculo descobre um leitor com menos de 20 anos. Jovens, sigam a SUPER. Podemos tirar suas dúvidas sobre o passado longínquo das lan houses de garagem.

Era uma vez, há não tanto tempo assim, um mundo sem Netflix e Spotify, em que o PirateBay era a capital do entretenimento online. Foi o auge do torrent.

Esse tipo de download, criado em 2001, funciona como uma vaquinha de bits. Imagine que você vai baixar um PDF da edição impressa da SUPER (não façam isso com este pobre Oráculo, rs).

Em um download tradicional, o arquivo inteiro vem de um único servidor. Já no protocolo torrent, cada página da revista viria do computador de algum usuário que já possui o arquivo que você quer baixar.

É como se o computador pegasse peças de LEGO emprestadas de centenas de outros computadores. Conforme elas chegam, ele vai montado, in loco, sua própria cópia do arquivo.

Continua após a publicidade
  • A contrapartida é que, enquanto você baixa pedacinhos de arquivos alheios, o seu computador fornece pedacinhos dos seus arquivos (inclusive do arquivo que você está baixando) para outras pessoas.

    Um arquivo é dividido em pacotes de cerca de 250 kb. Como é feito de pouco em pouco, o download também pode ser pausado e recomeçado.

    O download começa com as peças mais raras do LEGO, para que elas sejam duplicadas: quem baixa essas partes passa e tê-las no próprio computador e pode fornecê-las a outros usuários. É por isso que o download via torrent começa lento e depois acelera.

    Usuários que mantêm os arquivos baixados disponíveis, oferecendo pedacinhos, viram seeders (semeadores). No sistema, quem compartilha muito ganha, em troca, mais velocidade de download.

    Por outro lado, quem só compartilha enquanto baixa é chamado de leecher (sanguessuga) e tem menos prioridade na rede. É bom lembrar que o protocolo BitTorrent e seus similares não tem nada de ilegal por si só. Eles são só um método para agilizar downloads.

    Continua após a publicidade
    Publicidade