Clique e assine a partir de 5,90/mês
Turma do Fundão Por Blog Grupo de leitores-colaboradores da ME que ajuda a revista sugerindo pautas e alimentando este blog cultural

Resenha: Horror na Colina de Darrington

Por Letícia Duarte - Atualizado em 4 jul 2018, 20h34 - Publicado em 2 fev 2017, 11h00

leticia_duarte

darrington-livro

Horror na Colina de Darrington é o primeiro livro publicado do brasileiro Marcus Barcelos. O autor, que possui mais de um milhão de leituras na plataforma online Wattpad, cria uma trama que se passa em South Hampton, EUA. Ali, o órfão Benjamin Simons enfrentará a pior experiência de sua vida, entre loucura e realidade.

Após o convite de seu tio Romeu, Benjamin resolve ficar um tempo em sua casa, localizada na colina de Darrington. Sua esposa, Júlia, sofreu um misterioso derrame, ficando de cama e em estado vegetativo. E, como Romeu trabalhava durante todo o dia, Carlinha, a filha mais nova do casal, fica só. Então, esta seria a oportunidade perfeita de conviver com a prima, algo de que Benjamin foi privado  desde que a menina nasceu. A prima mais velha, Amanda, estuda em Derry e fica afastada da família.

A casa, porém, se mostra um tanto quanto estranha. Ben sofre visões e experiências assustadoras, cheias de ação desde as primeiras páginas. E descobre que ele e a prima estão em perigo, às voltas com uma conspiração. Como os fatos são narrados 11 anos depois que aconteceram por Benjamin, a noção do que é “a verdade” fica nublada – estaria Ben sendo fiel aos fatos ou apenas devaneando?

O livro é original no sentido de trazer um terror no estilo norte-americano na perspectiva de um brasileiro, já que esse gênero ainda não é tão comum por aqui. Para tanto, Barcelos se inspira em grandes autores do horror, como Edgar Allan Poe e Stephen King. E consegue criar verdadeiras cenas de terror ao longo dos 12 pequenos capítulos do livro.

As 142 páginas proporcionam uma leitura rápida, que flui à medida que o garoto descobre o contexto à sua volta. Estes acessos sobrenaturais são muito frequentes e consistem no mistério da história. No início dos capítulos, há documentos e páginas de jornal que denunciam (ou recapitulam) o que irá ser revelado a Ben, fazendo o leitor ligar os pontos no final.

O horror é ligado a elementos que revelam uma sede de poder, construindo um clímax poderoso. O autor cria, sem dúvidas, um terror nacional que consegue quebrar as barreiras do óbvio. A história, que não deixa de perder o fôlego, seduz até as últimas páginas, sempre com um toque de pavor. E Ben voltará em breve: a continuação do livro está prevista para 2017.

nota4

Continua após a publicidade
Publicidade