Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

A mais incrível das viagens

Um buraco no Cosmo pode ser a máquina do tempo ideal. Mas ninguém sabe se ele existe.

Por Da Redação Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 31 out 2016, 18h52 - Publicado em 14 out 1999, 22h00

Maria Fernanda Vomero

Quem não gostaria de ziguezaguear pelo tempo, como os personagens dos filmes da série De Volta para o Futuro? Avançar no calendário é teoricamente possível desde 1905, quando Einstein anunciou a Teoria da Relatividade. Você só precisaria embarcar numa espaçonave que chegasse quase à velocidade da luz e voltar à Terra um dia depois. Viajar ao passado continuou a ser pura ficção até os anos 80, quando o físico americano Kip Thorne propôs, a partir das equações de Albert Einstein, que seria possível construir uma máquina do tempo de verdade. A solução estaria em uma estrutura cósmica chamada buraco de minhoca – um suposto atalho entre pontos distantes no espaço.

Na prática, as especulações sobre os buracos de minhoca esbarram em duas complicações. A primeira é que, até hoje, ninguém tem certeza de que eles são mesmo reais. Até aí, tudo bem. “Os buracos negros foram previstos em 1916 e só recentemente pudemos confirmar que eles existem”, afirma George Matsas, do Instituto de Física Teórica da Universidade Estadual Paulista. A segunda dificuldade é que eles, caso existam, são estruturas muito instáveis, que se abrem e fecham instantaneamente. Destruiriam, portanto, os supostos viajantes. A saída, para Thorne, é fazer um buraco de minhoca e mantê-lo aberto usando um material que contenha energia negativa – o que tampouco é possível pela ciência atual. Segundo o próprio físico admite, isso é tarefa para alguma civilização avançada num futuro que ainda pode estar muito distante.

Quem sabe é super

A Teoria da Relatividade foi comprovada em 1919, durante um eclipse na cidade de Sobral, no Ceará.

Minhoca cósmica

Como construir um túnel do tempo.

1. O buraco de minhoca é um atalho que liga pontos distantes como a Terra e a estrela Vega, a 26 anos-luz daqui.

Continua após a publicidade

2. Olhando por uma de suas bocas, é possível ver o outro lado. O túnel fica numa dimensão hipotética chamada hiperespaço.

3. Para transformar o buraco de minhoca numa máquina do tempo, seria preciso instalar uma de suas bocas em uma nave ultraveloz e levá-la para uma viagem interestelar, perto da velocidade da luz – 300 0000 quilômetros por segundo. Na Terra, onde ficou a outra boca, o tempo está passando bem mais depressa do que na espaçonave. O relógio terrestre contou vinte anos, enquanto na nave transcorreu apenas um dia.

4. Está criado o túnel do tempo. Para viajar para o passado, basta entrar pela boca do buraco de minhoca que voltou do espaço. Só há um porém: o limite para o regresso ao passado é a data de partida da nave. Não dá pra voltar ao tempo dos dinossauros.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.