GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

A Terra é da melhor idade

Comparando com todos os planetas que se formarão no futuro, a Terra nasceu muito cedo, o que faz dela um planeta relativamente velho

Só na Via Láctea existe material para que sejam criados mais de 5 bilhões de planetas habitáveis como a Terra. No Universo inteiro, o número sobe para um sextilhão. De todos esses, 90% ainda vão nascer, segundo uma pesquisa feita com o Hubble e a sonda espacial Keppler, ambos da Nasa. Segundo Peter Behroozi, um dos líderes do estudo, isso significa que nós vamos perder boa parte da festa cósmica: “Comparando com todos os planetas que se formarão no futuro, a Terra nasceu muito cedo, o que faz dela um planeta relativamente velho”.

De acordo com a pesquisa, até que todos esses planetas nasçam e formem as suas civilizações, nós já teremos virado pó espacial. A descoberta pode reforçar a ideia de que talvez não estejamos assim tão acompanhados no Universo simplesmente porque somos uma das primeiras – e talvez das mais avançadas – civilizações que existem. Mas Behroozi também aponta outro lado: quando a Terra nasceu, 8% dos planetas habitáveis já existiam e, desde que estamos por aqui, outros 2% se formaram. Só na nossa galáxia, isso dá mais ou menos 100 bilhões de planetas: “Ao mesmo tempo que é possível que todas as outras civilizações ainda estejam se formando, também pode ser que muitas outras tenham se formado antes de nós”.

Se o estudo estiver correto, é praticamente impossível pensar que nós seremos os únicos – ou os mais inteligentes – a passear pelo Universo. “Ingenuamente, eu pensava que nós teríamos nascido pelo menos na metade, não tão cedo. É reconfortante saber que, mesmo que nós não sejamos a primeira civilização, seguramente não seremos a última”, conclui.

Fonte: On The History and Future of Cosmic Planet Formation, Peter Behroozi.