Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Água pesada

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h54 - Publicado em 31 out 1992, 22h00

Sílvio Ademir Brunozzi

O que é a água pesada das usinas nucleares?

Durante a quebra dos átomos de urânio em um reator nuclear são liberados nêutrons que, ao colidirem com outros átomos de urânio, são absorvidos provocando também sua fissão. Mas os nêutrons são liberados com altíssima carga de energia, que precisa ser diminuída para possibilitar sua absorção pelos outros átomos e a continuidade da reação em cadeia. Entra então em cena a água pesada, que circunda o tubo de metal onde está o urânio. Apesar de ter aparência e propriedades químicas exatamente iguais ás da água comum, sua composição é diferente. Os dois átomos de hidrogênio da água que sai das torneiras são substituídos por dois de deutério. A diferença entre esses elementos é que o átomo de hidrogênio possui apenas um próton e um elétron, enquanto o de deutério tem ainda mais um nêutron no seu núcleo. Isso faz com que ele tenha quase o dobro de massa, daí o nome de água pesada. “Quando o nêutron superenergético resultante da fissão do urânio colide com o deutério, sua energia diminui, sem que ele seja absorvido. É como o choque de duas bolas de bilhar”, explica o físico Ricardo Galvão, da Universidade de São Paulo. Com a energia cedida pelo nêutron do átomo de hidrogênio, a água pesada atinge temperaturas muito altas e pode ser usada para a produção de energia elétrica.

Publicidade