GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Anéis de Saturno teriam menos de 100 milhões de anos

Dados da sonda Cassini indicam que os bambolês de gelo que envolvem Saturno são bem mais novos que o próprio planeta, um senhor de 4,5 bilhões de anos

Formado no início do Sistema Solar, há 4,5 bilhões de anos, nosso segundo maior vizinho pode ter passado a maior parte da sua existência sem ostentar seus tradicionais adereços. Isso porque, segundo novos provam novos dados, só teria ganhado anéis para si no período entre 10 e 100 milhões de anos atrás. É o que afirma um novo estudo desenvolvido por um grupo internacional de pesquisadores e publicado na revista científica Science.

A pesquisa considerou dados enviados pela sonda Cassini, que vagou pelo espaço por duas décadas e gastou 13 anos colhendo dados na órbita do senhor dos anéis, Saturno. Graças a um dos últimos atos da sonda, em setembro de 2017, foi possível medir aspectos como a massa e a influência do efeito gravitacional dos anéis na gravidade do planeta.

Estima-se que o peso total dos bambolês seja de 40% da massa de Mimas, lua de Saturno. Mimas, por sua vez, é 2 mil vezes menor que a Lua terrestre, que tem 7,36 × 1022 Kg. Daí, podemos tirar que são nada menos que 1,47 x 1019 Kg. Acredita-se que o layout saturnino que conhecemos hoje tenha surgido por um evento de grande impacto, como o despedaçamento de uma lua ou de um cometa.

A teoria serve para contrapor outros argumentos já considerados por astrônomos, como o que propõe que os anéis eram resultado de detritos de gelo que permaneceram na órbita de Saturno após a formação do Sistema Solar. Outras correntes, ainda, falavam na chance de que um objeto vindo do cinturão de Kuiper ou um cometa tivesse sido aprisionado.

“Pode ser que tenha havido uma colisão gigante há 100 milhões de anos, o que significa que deve haver outra colisão amanhã”, disse Burkhard Militzer, pesquisador que participou do estudo, em entrevista à revista New Scientist. “Pensamos que nosso sistema solar não é muito violento, mas pode também não ser tão estável quanto imaginávamos”.

Como tudo nessa vida é transitório, esses distintos acessórios não ficarão no mesmo lugar para sempre. Mais do que isso, os famosos anéis que garantiram a fama para Saturno, na verdade, estão com os dias contados.

Acredita-se que eles devam desaparecer em coisa de 300 milhões de anos (mais precisamente, 292 milhões). Pelo menos, essas são as estimativas mais recentes de uma pesquisa publicada na revista científica Icarus, que envolveu pesquisadores do Centro de Voo Espacial Goddard, da Nasa. Pensando em uma escala de tempo astronômica, é quase com se os anéis fossem expirar daqui uma ou duas décadas. Para a humanidade, no entanto, é uma infinidade.

Está aí uma boa notícia: enquanto a humanidade existir, poderemos olhar para o céu e ver os anéis de Saturno. Afinal, 300 milhões de anos só é pouco tempo para que já fez 4,5 bilhões de aniversários.