Clique e assine a partir de 8,90/mês

Cachorros conseguem detectar calor usando o nariz

Áreas do cérebro de cães ficam mais agitadas quando algo mais quente que os arredores se aproxima. Foi o que mostrou um estudo europeu.

Por SUPER - Atualizado em 20 mar 2020, 19h19 - Publicado em 20 mar 2020, 13h41

O focinho canino é um termômetro potente. É como se a ponta do nariz deles tivesse uma espécie de sensor infravermelho, que permite aos bichos flagrar variações mínimas de calor. Isso vale para objetos que são mais quentes que a temperatura ambiente – como um outro cão ou o dono, por exemplo.

Usando ressonância magnética, pesquisadores da Suécia e da Hungria mostraram que áreas do cérebro de cães ficam mais agitadas quando algo que se aproxima é mais quente que os arredores. A mesma atividade não existe para objetos inanimados – que não emanam calor.

O estudo foi publicado na revista Scientific Reports.

Publicidade