Clique e Assine SUPER por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Conta do Twitter quer mostrar como árvore responde a mudanças no clima

Iniciativa é mantida por pesquisadores da Universidade Harvard, e traz informações diárias sobre carvalho centenário que vive em floresta dos Estados Unidos

Por Guilherme Eler
30 jul 2019, 17h17

O que uma árvore pode dizer sobre o clima do planeta em uma determinada época? A resposta é: muita coisa. A partir do ritmo de crescimento da planta, registrado na largura dos anéis em seu tronco, é possível saber se um certo ano foi mais quente ou registrou temperaturas mais baixas – se contou com poucas chuvas, ou se o nível de umidade foi acima da média. A velocidade com que ela retira água do solo e a distribui para as folhas, da mesma maneira, pode indicar o quanto vem retendo gás carbônico, por exemplo.

Pensando nisso, pesquisadores americanos criaram um diário que mostra como uma árvore pode ser um retrato fiel do ambiente. O organismo escolhido é um representante de peso: um carvalho-vermelho de 26 metros de altura, que vive há 99 anos na floresta-laboratório mantida pela Universidade Harvard em Petersham, nos Estados Unidos. E a ferramenta que serve como diário de bordo é nada menos do que um perfil no Twitter.

Sensores presos na árvore enviam dados para um software, que está conectado a um algoritmo. Este algoritmo, então, tem a função de alimentar a página do carvalho na rede social. As postagens começaram no último dia 17 de julho e dão atualizações sobre aspectos como a taxa de crescimento de seu tronco, temperatura, velocidade do vento e umidade. Você pode acompanhar tudo seguindo a conta @awitnesstree.

“Neste ano, meu tronco cresceu 1.5 milímetros em seu diâmetro. A partir da metade do verão, meu ritmo de crescimento começa a diminuir”, disse no dia 23 de julho. No dia anterior, 22 de julho, o recado era sobre a mudança de tamanho ao longo do mês atual: “meu tronco cresceu 0.255 milímetros até agora, e meus galhos, 0.279 milímetros”.

Há, também, registros sobre a temperatura local. “Ontem estava muito quente. Com uma média diária de 27 °C, foi o 24° dia mais quente que eu me lembro já ter presenciado”, tweetou o perfil, no dia 21 de julho. Tudo feito sempre em primeira pessoa, como se o próprio carvalho centenário tirasse um tempinho para atualizar quem o segue em seu microblog.

“O organismo vivo mais velho com um perfil em rede social que se tem notícia; um embaixador da vida em um ambiente em mudança”, escreve a Universidade Harvard na página dedicada ao projeto. Quanto à história de ser o espécime mais antigo a marcar presença em uma mídia social, há outros que reivindicam esse título. A árvore-testemunha está, por exemplo, atrás deste fóssil de T-Rex com 67 milhões de anos que, além de dar as caras no Twitter, vive no Museu Field de História Natural de Chicago (EUA). Mas que o tal carvalho-vermelho pode, sim, ser um retrato das mudanças climáticas preciso como poucos, disso não há dúvida.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.