Clique e assine a partir de 8,90/mês

Cor de luz é uma coisa e de tinta é outra

Por Da Redação - Atualizado em 31 out 2016, 18h53 - Publicado em 31 out 1999, 22h00

A mistura de todas as cores sempre dá branco?

Só se você juntar luzes coloridas. “Juntando um monte de tintas diferentes num balde, o resultado ficará muito mais próximo do preto – ou do cinza-escuro”, explica o físico Cláudio Furukawa, da Universidade de São Paulo. As cores não passam de ondas eletromagnéticas que os nossos olhos conseguem enxergar. E as ondas podem ter freqüências diferentes, o que gera as várias tonalidades. O branco é a mistura de todas as freqüências. Para comprovar, basta focalizar fachos de luz coloridos sobre um mesmo ponto, numa folha branca (veja o infográfico). Mas uma tinta não é o mesmo que um facho de luz. Os pigmentos – tanto faz se eles estão numa maçã ou na carga de uma caneta – podem absorver ou refletir a luz. Uma tinta preta absorve todas as cores, causando o negrume. Já uma branca reflete todas. Se você passar uma caneta vermelha no papel, o risco absorverá todas as cores menos o vermelho, que volta para os seus olhos. A cor que vemos é o que sobrou da luz absorvida.

Preto e branco

O resultado da mistura das cores não é sempre o mesmo.

1. Ao apontar fachos coloridos – um azul, um verde e um vermelho são suficientes – para uma tela branca, o ponto onde todos se encontram fica branco.

2. Ao misturar tintas com as mesmas cores sobre uma superfície branca, o local onde elas se encontram absorve a luz e não deixa escapar nenhuma cor. Ali a tela fica preta.

Publicidade