GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Descoberta criança pré-histórica com pais de espécies diferentes

Denny, como foi batizada a menina, tinha 13 anos quando morreu - e era filha de uma neandertal com um denisovano

A menina Denny morreu aos 13 anos, no interior da Rússia, dentro de uma caverna. Tinha tudo para ficar no anonimato para sempre. E quase ficou; foram 90 mil anos escondida do mundo até que, em 2016, ela teve seus ossos encontrados por cientistas. Agora, dois anos depois, Denny vai entrar para a história – e por causa de seus pais. Ela é a primeira criatura hominídea filha de duas espécies diferentes.

A descoberta foi anunciada nesta quarta, 22, por pesquisadores da Universidade de Oxford, que sequenciaram o DNA de Denny (nome que escolheram para batizar a menina). Isso foi possível graças um pequeno osso, que pertenceu a um dos dedos da garotinha pré-histórica e continha material genético suficiente para análise.

Veja também

Os resultados revelaram que Denny tinha 50% de DNA vindo de uma mulher neandertal, e 50% da genética de um homem denisovano (espécie hominídea que era desconhecida até 2008). Ela é fruto de uma união que diz muito sobre nosso passado mais remoto. “A gente quase pegou eles durante o ato”, brincou o cientista Svante Pääbo, um dos autores do estudo, em entrevista à Nature.

Denny é mais uma prova de que antes de sermos os humanos que vemos no espelho, as criaturas hominídeas procriavam entre si, criando híbridos que ajudaram na nossa evolução. Exatamente por isso é possível encontrar até 3% de genes neandertais em alguns seres humanos.

Há pouquíssimas ossadas de denisovanos catalogadas. E, se mesmo com uma amostragem pequena foi possível encontrar uma descendente direta de uma relação inter-espécies, isso pode sugerir que os encontros sexuais desse tipo eram mais comuns do que se imaginava.

A ciência á havia descoberto um descendente de Homo sapiens com neandertais, mas não era um filho direto – e sim um descendente remoto, com quatro a seis gerações de distância do híbrido original. Uma descendente direta é algo tão inesperado que, inicialmente, nem mesmo os pesquisadores acreditaram na descoberta. “Eu achei que alguém tinha interpretado as coisas [os dados da pesquisa] de forma errada”, afirma Pääbo.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. André de Souza

    a tese está comprovada: a manifestação de voto a Bolsonaro é uma “ode” à estupidez. Uma manifestação explícita de absoluta ignorância política. Basta analisar o nível dos argumentos: uma mistura de ódio manifesto com vilipêndio da língua portuguesa. Interessante notar que o argumento mais utilizado para justificar o apoio a Bolsonaro não consiste em dar relevância ao seu programa de governo e, sim, justificar tal apoio como uma espécie de forma de deter o avanço das esquerdas “filhas do demônio”! Aviso aos estúpidos adoradores da direita que nem sabem o que isto significa: fiquem tranquilos! A esquerda radical não terá a mínima chance nestas eleições. Portanto, não é necessário apelar para um populismo de direita vagabundo. Não se iludam: Bolsonaro não é um “Messias”! O Messias já é o Lula (kkkk…)! E o Messias tá preso! Bolsonaro é só mais do mesmo! Não representa absolutamente nada de novo no cenário político nacional. São 28 anos como deputado federal, perpetuando a velha prática de fazer da política uma profissão muito rentável sem precisar trabalhar muito; está criando mais uma oligarquia política familiar com os filhos; recebe – como quase todos, aliás – auxílio-moradia mesmo possuindo imóvel em Brasília; e, só pra arrematar, mantinha uma funcionária-fantasma em seu gabinete que vendia açaí na praia. Bolsonaro representa tão somente a continuidade de tudo que não presta no cenário político brasileiro: o político que diz não ser corrupto e, por conta disto, se perpetua, mamando nas tetas do estado sem fazer muito esforço. Ah! E estas são novas: hoje, Michel Temer anunciou que vai reajustar os salários do Executivo e, consequentemente, dará aval para o famigerado reajuste de 16,3% aos ministros do STF. Bolsonaro, assim como os demais candidatos à presidência, sequer se manifestaram a respeito. Ora! Alguém que se autoproclama como sendo a alternativa para acabar com a corrupção e os privilégios da alta burocracia estatal, deveria ter se manifestado! Mas, como disse o seu candidato a vice, o também energúmeno General Mourão, “privilégio só é contra quem não tem”! Obviamente Bolsonaro compartilha desta visão, pois, receber auxílio-moradia tendo residência fixa é ter privilégio, não é? Isto, sem falar nos outros penduricalhos! Ah! E só pra fechar: hoje mesmo Bolsonaro afirmou que vai tirar o Brasil do Tratado sobre o clima, assinado em Paris. Ele alega que este acordo tirará a floresta amazônica situada no território nacional do controle brasileiro. E acabará com a demarcação das reservas de terras indígenas porque há muito minério a ser explorado nestas terras e, estas demarcações impedem tal exploração. Ou seja, nem se elegeu e já está pensando em fazer cagada!

    Curtir

  2. André de Souza

    Foi mal! O post era para outra matéria.

    Curtir