Clique e Assine por apenas 6,90/mês

Escândalo acadêmico

Será que ele carrega genes da violência? Cientistas americanos estão sendo acusados de falsear pesquisas para provar que os ianomâmis são naturalmente agressivos

Por Da Redação - Atualizado em 31 out 2016, 18h49 - Publicado em 31 out 2000, 22h00

Flávio Dieguez

A briga é de turma e é a maior que a ciência já viu em muitas décadas. No centro do tiroteio estão os ianomâmis, que teriam sido vítimas da irresponsabilidade de dois pesquisadores americanos: o falecido geneticista James Neel, da Universidade de Michigan, e o antropólogo Napoleon Chagnon, da Universidade da Califórnia. A denúncia é do jornalista americano Patrick Thierney, autor de um livro-bomba, Darkness in El Dorado (Trevas em El Dorado), a ser lançado este mês nos Estados Unidos. Quem já viu o texto prevê um impacto de vários megatons. “O escândalo não tem paralelo na história da Antropologia”, afirma o pesquisador Terence Turner, da Universidade Cornell. Neel, diz Turner, é acusado de dar aos ianomâmis uma vacina de má qualidade, que provocou uma epidemia de sarampo com “centenas ou milhares de mortes”, na década de 60. O livro também ataca a tese “fascista” de Neel e Chagnon – segundo a qual os ianomâmis seriam geneticamente agressivos e violentos – e diz que, para prová-la, os cientistas falsearam dados, encenando conflitos de mentirinha entre os índios. Existem, hoje, 24 000 ianomâmis em cerca de 200 tribos espalhadas pelo sul da Venezuela e norte do Amazonas, e sua cultura é das que menos foi alterada pelo contato com brancos. No outro canto do ringue, vários cientistas defendem os réus. Como o especialista em sarampo Samuel Katz, da Universidade de Duke, para o qual a vacina usada nos anos 60 não era letal, como sustenta o livro. Ou o geneticista brasileiro Francisco Salzano, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, que colaborou com Neel durante muitos anos. Recém-nomeado para a Academia de Ciências dos Estados Unidos (que só aceita a elite da pesquisa internacional), Salzano disse à Super que Thierney deveria ser preso por oportunismo . O combate, pelo jeito, está só no primeiro round.

Fraude ou oportunismo?

O geneticista Francisco Salzano, um dos mais respeitados cientistas brasileiros, diz que jornalista americano é oportunista

Como o senhor está vendo as acusações do jornalista Patrick Thierney?

É ridículo. Ele deveria ir para a cadeia. Só fez a denúncia para ganhar fama.

Continua após a publicidade

Ele diz que o geneticista James Neel provocou uma epidemia entre os ianomâmis…

Neel, na verdade, combateu a epidemia. E usou vacinas fornecidas pelo Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos.

Qual a importância das pesquisas de Neel?

Graças a ele conhecemos melhor a variação genética entre os índios da América, sua evolução e a ocupação do continente americano.

Continua após a publicidade

E o antropólogo Napoleon Chagnon?

Ele fez uma análise da cultura guerreira dos ianomâmis, sem necessariamente afirmar que havia propensão para a violência. A busca do gene da liderança nunca existiu.

Publicidade