GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Estas são as 15 melhores fotos da natureza de 2019

A organização de preservação ambiental The Nature Conservancy (TNC) anunciou os cliques vencedores de seu concurso anual de fotografia.

A The Nature Conservancy (TNC), maior organização de conservação ambiental do mundo, revelou hoje os vencedores da edição de 2019 de seu concurso de fotografia. Foram selecionados primeiro, segundo e terceiro lugares em cinco categorias – além de um prêmio extra escolhido pelo público por meio de votação.

A campeã geral é a foto que você vê aí em cima: um leão-marinho da Califórnia (o nome científico da espécie é Zalophus californianus) nadando em um cenário subaquático deslumbrante. O clique é do americano Tyler Schiffman. Abaixo, veja a lista completa de fotos vencedoras – a SUPER agradece a TNC e a assessora Maria Paula Angelelli por autorizar a divulgação das imagens. 

Categoria “água”

1º lugar na categoria “água”
Um tubarão-baleia – com pintinhas e a boca larga característica – nada no recife de corais de Ningaloo, no litoral oeste da Austrália. De acordo com o fotógrafo Alex Kydd, a maneira específica como os raios de luz estão penetrando na água só pode ser registrada em dias de pouco vento e água parada.

1º lugar na categoria “água”
Um tubarão-baleia – com pintinhas e a boca larga característica – nada no recife de corais de Ningaloo, no litoral oeste da Austrália. De acordo com o fotógrafo Alex Kydd, a maneira específica como os raios de luz estão penetrando na água só pode ser registrada em dias de pouco vento e água parada. (Alex Kydd | The Nature Conservancy/Divulgação)

 

2º lugar na categoria “água”
Uma revoada de flamingos sobrevoa o lago salino Magadi, no Quênia, leste da África, em março de 2018. A figura psicodélica em forma de “T”, embora pareça o reflexo de uma nuvem, é espuma na superfície da água.

2º lugar na categoria “água”
Uma revoada de flamingos sobrevoa o lago salino Magadi, no Quênia, leste da África, em março de 2018. A figura psicodélica em forma de “T”, embora pareça o reflexo de uma nuvem, é espuma na superfície da água. (Hao Jiang | The Nature Conservancy/Divulgação)

 

3º lugar na categoria “água”
O fotógrafo Alex Kydd faturou não só o 1º como também o 3º lugar de sua categoria. Ele afirma não saber ao certo a que espécies pertencem as raias e qual exatamente é a finalidade desse tipo de interação social bagunçada. A foto foi feita no mesmo recife de corais que o clique de ouro do tubarão-baleia.

3º lugar na categoria “água”
O fotógrafo Alex Kydd faturou não só o 1º como também o 3º lugar de sua categoria. Ele afirma não saber ao certo a que espécies pertencem as raias e qual exatamente é a finalidade desse tipo de interação social bagunçada. A foto foi feita no mesmo recife de corais que o clique de ouro do tubarão-baleia. (Alex Kydd | The Nature Conservancy/Divulgação)

Categoria “cidades e natureza”

1º lugar na categoria “cidades e natureza”
Foto feita na ponte Golden Gate, em São Francisco, nos EUA, em um amanhecer de neblina baixa.

1º lugar na categoria “cidades e natureza”
Foto feita na ponte Golden Gate, em São Francisco, nos EUA, em um amanhecer de neblina baixa. (Jay Huang | The Nature Conservancy/Divulgação)

 

2º lugar na categoria “cidades e natureza”
O vilarejo de Mestia, na Georgia, à noite. A Georgia é uma pequena ex-república soviética localizada no sopé Cáucaso, às margens do mar Negro. E agora você provavelmente está com vontade de viajar para lá.

2º lugar na categoria “cidades e natureza”
O vilarejo de Mestia, na Georgia, à noite. A Georgia é uma pequena ex-república soviética localizada no sopé Cáucaso, às margens do mar Negro. E agora você provavelmente está com vontade de viajar para lá. (Yevhen Samuchenko | The Nature Conservancy/Divulgação)

 

3º lugar na categoria “cidades e natureza”
Os leões-marinhos da Califórnia foram as grandes estrelas deste ano. Além de levarem o prêmio principal, conseguiram um bronze por sua presença numerosa nas docas do porto de Astoria, nos EUA.

3º lugar na categoria “cidades e natureza”
Os leões-marinhos da Califórnia foram as grandes estrelas deste ano. Além de levarem o prêmio principal, conseguiram um bronze por sua presença numerosa nas docas do porto de Astoria, nos EUA. (Robert Potts | The Nature Conservancy/Divulgação)

Categoria “paisagem”

1º lugar na categoria “paisagem”
O clique foi feito durante uma viagem para prática de esqui na Eslovênia. Após 5 dias de neblina nas montanhas, o céu se abriu.

1º lugar na categoria “paisagem”
O clique foi feito durante uma viagem para prática de esqui na Eslovênia. Após 5 dias de neblina nas montanhas, o céu se abriu. (Colin Ronald | The Nature Conservancy/Divulgação)

 

2º lugar na categoria “paisagem”
Parece um quadro do Mark Rothko. Mas é uma foto feita por um drone que sobrevoava a lagoa salina Hutt, no oeste da Austrália. A água é rosa graças à presença de pigmentos carotenoides produzidos por algas.

2º lugar na categoria “paisagem”
Parece um quadro do Mark Rothko. Mas é uma foto feita por um drone que sobrevoava a lagoa salina Hutt, no oeste da Austrália. A água é rosa graças à presença de pigmentos carotenoides produzidos por algas. (Leigh Miller | The Nature Conservancy/Divulgação)

 

3º lugar na categoria “paisagem”
Trolltunga, Noruega. 28 de junho de 2019. Não precisa dizer mais nada, precisa?

3º lugar na categoria “paisagem”
Trolltunga, Noruega. 28 de junho de 2019. Não precisa dizer mais nada, precisa? (Guilherme Gomes de Mesquita | The Nature Conservancy/Divulgação)

Categoria “pessoas e natureza”

1º lugar na categoria “pessoas e natureza”
Essa veio sem legenda. E embora a gente aqui na SUPER realmente não faça ideia do que se trata a imagem, ela já é o papel de parede dos PCs da redação.

1º lugar na categoria “pessoas e natureza”
Essa veio sem legenda. E embora a gente aqui na SUPER realmente não faça ideia do que se trata a imagem, ela já é o papel de parede dos PCs da redação. (Cale Van Vinh | The Nature Conservancy/Divulgação)

 

2º lugar na categoria “pessoas e natureza”
É do Brasil. Ou melhor: no Brasil. Este é um jovem refugiado da República Democrática do Congo finalmente curtindo a paz nas águas da Baía de Guarnabara, no Rio de Janeiro. É parte de uma série sobre imigração realizada pelo fotojornalista Fabio Teixeira.

2º lugar na categoria “pessoas e natureza”
É do Brasil. Ou melhor: no Brasil. Este é um jovem refugiado da República Democrática do Congo finalmente curtindo a paz nas águas da Baía de Guarnabara, no Rio de Janeiro. É parte de uma série sobre imigração realizada pelo fotojornalista Fabio Teixeira. (Fabio Teixeira | The Nature Conservancy/Divulgação)

 

3º lugar na categoria pessoas e natureza
Foto tirada durante o inverno de 2015 em um rio na região de Bengala, no leste da Índia. Com o tempo seco, o fluxo da água acalma e algo descrito pelo fotógrafo como “camada com aparência de musgo” preenche a superfície da água.

3º lugar na categoria pessoas e natureza
Foto tirada durante o inverno de 2015 em um rio na região de Bengala, no leste da Índia. Com o tempo seco, o fluxo da água acalma e algo descrito pelo fotógrafo como “camada com aparência de musgo” preenche a superfície da água. (Atratim Pal | The Nature Conservancy/Divulgação)

 

Categoria “vida selvagem”

1º lugar na categoria “vida selvagem”
O título da foto é “esperança”. Svalbard, Noruega, junho de 2019.

1º lugar na categoria “vida selvagem”
O título da foto é “esperança”. Svalbard, Noruega, junho de 2019. (Fernando O’Farrill | The Nature Conservancy/Divulgação)

 

2º lugar na categoria “vida selvagem”
Um fofíssimo pássaro da espécie Setophaga pensylvanica canta na sombra de um brilho fantasmagórico.

2º lugar na categoria “vida selvagem”
Um fofíssimo pássaro da espécie Setophaga pensylvanica</em (Raymond Hennessy | The Nature Conservancy/Divulgação)

 

3º lugar na categoria “vida selvagem”
Esta zebra fotografada em Lewy, no Quênia, demonstra uma das utilidades das listras: camuflagem. É quase impossível saber onde começa um animal e termina o outro.

3º lugar na categoria “vida selvagem”
Esta zebra fotografada em Lewy, no Quênia, demonstra uma das utilidades das listras: camuflagem. É quase impossível saber onde começa um animal e termina o outro. (Yaron Shmid | The Nature Conservancy/Divulgação)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Andre Escovedo

    O 1º lugar na categoria “pessoas e natureza” parece ser a foto de um pescador, com as redes verdes e as linhas de boias brancas.

    Curtir