Clique e assine a partir de 5,90/mês

Este papagaio tinha quase um metro de altura – e peso de bola de boliche

Cientistas encontraram os ossos da ave gigante, que habitou ilha da Nova Zelândia entre 19 milhões e 16 milhões de anos atrás

Por A. J. Oliveira - 8 ago 2019, 08h02

Grandes ilhas costumam ter faunas exuberantes. Ambientes isolados e pequenos parecem libertar toda a diversidade da seleção natural e da evolução das espécies. Um bom exemplo disso é a Nova Zelândia: lar de aves icônicas como o kiwi e o kakapo, gordo demais para voar. Agora, pesquisadores encontraram o fóssil de um psitacídeo, mesma família do kakapo, que era ainda maior que ele. Descobriram um papagaio gigante que pesava sete quilosÉ peso de bola de boliche, das mais pesadas. E o bicho também era alto — media 90 centímetros. Ninguém imaginava que um papagaio pudesse crescer tanto.

De acordo com o estudo de uma equipe de cientistas da Austrália e da Nova Zelândia, o animal habitou as terras neozelandesas entre 19 milhões e 16 milhões de anos atrás, em um período chamado Mioceno. Seus ossos foram achados no sítio paleontológico de St Bathans, na Ilha Sul da Nova Zelândia, local recheado de fósseis de criaturas daquela época. Em 20 anos de trabalhos ali, paleontólogos preencheram grandes lacunas da biodiversidade local.

Até o nome científico que os pesquisadores deram ao papagaio gigante faz referência a sua majestosidade: chamaram-no de Heracles inexpectatus. Héracles era o maior dos heróis da Grécia Antiga (ele ficou conhecido mundo afora por seu nome latino, Hércules). E a outra palavra ressalta o caráter inesperado da descoberta. Ainda este ano, os cientistas querem voltar para St Bathans e tentar encontrar vestígios de outros espécimes.

Os resultados foram publicados nesta quarta (7) no jornal científico Biology LettersPor serem sólidos e pesados, os fósseis indicam que o Heracles não podia voar — assim como os kakapos. Provavelmente, era uma versão avantajada de um kakapo. Ele se alimentava de sementes e frutas no chão da floresta. É interessante o fenômeno que fez com que essa espécie se tornasse tão grandes: é o chamado gigantismo autapomórfico, que ocorre quando certas espécies ocupam um nicho ecológico vazio.

Há também o gigantismo insular, outro fenômeno parecido em que os animais aumentam de tamanho após deixar o continente e se isolar em ilhas. Patos gigantes do Havaí são um exemplo de bichos que passaram pelo mesmo processo que o Heracles, bem como os famosos dodôs, que basicamente eram pombos enormes. Foi a primeira vez que um psitacídeo foi descoberto com o mesmo padrão. Agora, imagine se esse papagaio de Itu falasse?

Continua após a publicidade
Publicidade