Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Já que o Big Bang foi a expansão do Universo, pode ocorrer uma contração?

Poder, até pode. As equações não proíbem essa possibilidade. Mas não há nenhuma evidência de que isso já tenha acontecido – nem de que vá acontecer.

Por Bruno Vaiano Atualizado em 16 abr 2021, 15h32 - Publicado em 15 abr 2021, 20h31

Sim. Pelo menos em princípio, as equações da Relatividade Geral abrem a possibilidade de um Universo em contração. Vários cosmólogos – um dos mais famosos é o brasileiro Mário Novelo – propõem um cosmos cíclico, em que nossa fase atual de expansão veio após uma fase anterior de contração (nesse caso, o Big Bang não seria o começo de tudo, mas um restart).

A questão é que nem tudo que a matemática permite necessariamente ocorre na prática. Não há evidências observacionais sólidas de que o Universo já tenha se contraído – nem de que ele jamais vá sair de sua fase atual, em que ocorre uma expansão acelerada.

Não vamos nos alongar muito nesta resposta, por que o leitor curioso pode clicar aqui e acessar uma reportagem bem completa da Super sobre cosmologias cíclicas – que menciona tanto seu papel em regiões orientais quando a exploração do assunto pela ciência contemporânea.

Pergunta de @adrianacristofoligorri, via Instagram. 

Continua após a publicidade

Publicidade