GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Macacos aprendem a digitar Shakespeare

Experiência envolveu eletrodos cerebrais e o terceiro ato de Hamlet.

Em 1913, o matemático Émile Borel propôs o que viria a ser conhecido como Teorema dos Macacos Infinitos.

Ele diz que, se você tiver uma quantidade infinita de macacos e máquinas de escrever, eventualmente os bichos acabarão escrevendo algo tão bom quanto Shakespeare – por pura tentativa e erro. É uma das teses mais conhecidas, e divertidas, da ciência da probabilidade.

Inspirados nela, cientistas da Universidade Stanford resolveram ensinar dois macacos a “escrever” Shakespeare. Implantaram eletrodos nos cérebros dos bichos, que foram ensinados a guiar um cursor para selecionar letras numa tela (a letra correta aparecia em verde) usando o pensamento.

O texto usado foi o discurso “Ser ou não ser”, do terceiro ato de Hamlet – que os macacos conseguiram copiar na velocidade de 12 palavras por minuto.