Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Mariposa de topete louro ganha o nome de Donald Trump

Além do penteado, a nova espécie, chamada Neopalpa donaldtrumpi, tem genitais menores do que a média.

Por Bruno vaiano 18 jan 2017, 17h55

Dá para contar nos dedos quantos cientistas vão com a cara de Donald Trump. E há motivo de sobra para tanta preocupação: só para começar, o novo presidente americano não acredita em aquecimento global e acha que vacinas causam autismo.

Agora, o empresário está prestes a assumir o cargo com a menor popularidade de um presidente americano em 40 anos. E essa insatisfação toda já se reflete na biologia. Vazrick Narazi, um biólogo evolutivo de Ontário, no Canadá, acabou de descobrir uma espécie de mariposa com topete louro reluzente e genitais particularmente pequenos. Responsável por batizá-la, não deu outra: Neopalpa donaldtrumpi foi o nome do rebento.   

A descoberta foi acidental. O pesquisador estava analisando um grupo de mariposas da espécie Neopalpa neonata quando percebeu que um dos machos tinha uma notável desvantagem reprodutiva. Curioso para saber se essa era uma anomalia pontual ou se a alteração era indício de uma nova espécie, Narazi fez análises de DNA e procurou o inseto de penteado peculiar em bancos de dados de várias instituições especializadas em biologia e história natural. Não deu outra: o bichinho, com um pouco menos de um centímetro de envergadura, era mesmo novidade.

Em um tweet, o biólogo afirmou que a “homenagem” não é só uma questão estética. “Batizei uma mariposa de Donald Trump. Será que agora ele vai tornar a preservação dos frágeis ecossistemas norte-americanos uma prioridade?”. Ao EurekaAlert!, o pesquisador afirmou que a existência de espécies desconhecidas em uma área já extensivamente investigada pela biologia é prova de que, sem preservação, muitas espécies podem desaparecer antes de serem descritas pela ciência.

O festival de indiretas não para por aí. A espécie habita um pedaço do México e também os estados americanos do Arizona e da Califórnia — local da construção de um muro que irá separar o país latino do resto da América do Norte, se a promessa de Trump se cumprir.

Essa não é a primeira vez que a pessoa mais poderosa do mundo dá inspiração à biologia. Barack Obama, carismático, foi eternizado em nove (!) novas espécies, uma delas, um peixe registrado na mesma revista científica em que Nazari publicou.  

Continua após a publicidade
Publicidade