GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

O sucesso dos mamíferos na ponta do dente molar

O que provocou o surgimento de uma imensa variedade de mamíferos há 40 milhões de anos? Para o paleontólogo John Hunter, da Universidade do Estado de Nova York, Estados Unidos, e o biólogo Jukka Jernvall, da Universidade de Helsinqye, na Finlândia, tudo aconteceu por causa de um dente molar. Analisando todas as 26 ordens de mamíferos que existiram nos últimos 65 milhões de anos, os pesquisadores descobriram que aquelas que apresentam o maior número de espécies têm um molar com uma pontinha a mais. “Concluímos que os animais com o dente modificado tiveram maior chance de sobreviver ao clima frio e seco daquela época”, disse Hunter à SUPER. “É que a sobrevivência dependia de conseguir mastigar vegetais fibrosos, de difícil digestão.” Para Reinaldo Bertini, paleontólogo da Universidade Estadual Paulista em Rio Claro, a evolução não é tão simples assim. “O molar modificado é um aspecto da evolução, sim. Mas existem outros. A própria extinção dos dinossauros, há 65 milhões de anos, abriu espaço para que os mamíferos se espalhassem pelo planeta.”

Molar mutante

O crescimento de uma quarta ponta facilitou a mastigação.

O molar superior dos mamíferos primitivos tinha apenas três cúspides, as pontas que moem os alimentos. O nascimento da quarta cúspide (em rosa, na ilustração) aumentou as chances de sobrevivência de muitos animais, como o grande grupo dos ungulados (animais que têm patas com casco), a que pertence o hipopótamo. Com a nova dentadura, eles passaram a conseguir mastigar plantas fibrosas, como as gramíneas, que surgiram na Terra há uns 40 milhões de anos.