GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Os louva-a-deus estão devorando cérebros de pássaros pelo mundo

Acreditava-se que a prática fosse pouco comum, mas um novo estudo registrou indícios de mortes em todos os continentes – com exceção da Antártida

Embora seu nome possa indicar uma vida beata, o comportamento dos louva-a-deus na natureza não tem nada de cristão. Fazendo valer a lei do mais forte, eles costumam ser implacáveis em sua busca por alimento. Caçadores pacientes, esses insetos sabem o momento certo para atacar a presa com suas mandíbulas potentes e deixá-las imóveis com ajuda das patas serrilhadas. Embora seu prato preferido sejam os insetos, sabe-se que eles também dão conta de pequenos roedores e até pássaros:

Para esses últimos, inclusive, a vida não anda nem um pouco fácil. Embora tomada até então como uma prática pouco frequente, um estudo registrou 147 ocorrências da morte de pássaros nas garras de insetos louva-a-deus. Os registros vêm de treze países, de seis continentes diferentes. Segundo o trabalho, publicado no periódico Wilson Journal of Ornithology, 12 espécies de louva-a-deus predaram 24 tipos de aves diferentes – beija-flores, em sua maioria.

Essa seria apenas uma estatística animal não fosse a forma bizarra como a matança acontece: no melhor estilo apocalipse zumbi, eles atacam e consomem os cérebros das aves, violando seus corpos inanimados. Após vencer a luta com o pássaro, o inseto o segura de cabeça para baixo – posição perfeita para dar início ao ritual macabro.

“Eles acessam a cavidade craniana perfurando um dos olhos, e então, se alimentam de seus cérebros. Encontramos diversos registros dos insetos comendo a cabeça dos pássaros, e em pelo menos duas ocasiões, o louva-a-deus cortou a cabeça da presa quando terminou”, detalham os pesquisadores em um trecho do estudo, destacado pelo site Motherboard.

Além de descrever o crime, o estudo traz também outras descobertas interessantes. A espécie que se mostrou mais assassina (causando 25 óbitos) foi a Tenodera sinensis, nativa da China e bastante encontrada no noroeste dos EUA – onde foram registradas a maioria das mortes. A maioria dos louva-a-deus identificados eram fêmeas, com tamanho médio de 6 cm. A variedade de pássaro que mais foi vítima, por sua vez, foi a de beija-flor de pescoço vermelho (Archilochus colubris).

Apesar da pesquisa focar nas presas emplumadas, os pesquisadores observaram que a boa variedade do cardápio desses insetos. Além dos tradicionais roedores, sapos, lagartos, salamandras (alguns deles venenosos), uma pequena tartaruga e um morcego (!) também foram vítimas dos louva-a-deus assassinos.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Para Dra. E quero achar que também não é senil! https://Is.gd/7qQjNq

    Curtir

  2. 2002. GILLIGAN, Carol. Artigo destacado Aparecimento,
    1998. http://01049184875.com/board_zhfP03/28200

    Curtir