GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Quando a consciência se separa do corpo

Em todas as culturas é normal relatos de experiências extracorporais, vivências nem sempre associadas a psicopatologias

Tânia Nogueira

Você já deve ter ouvido falar que tem gente que, de vez em quando, sai do corpo para dar umas voltinhas por aí. Em todo mundo, um número bastante grande de pessoas diz ter sentido seu espírito descolar do corpo e visto a si próprias como se fossem outra pessoa. Esse fenômeno é conhecido como Experiência Extracorporal.

Para os esotéricos, quando dormimos, viajamos para outras dimensões. Além do corpo físico, nós teríamos também corpos sutis. A experiência extracorporal seria literalmente um passeio que um desses corpos sutis, o astral, dá sozinho enquanto o físico fica dormindo.

Embora essa hipótese não seja provável para a ciência como nós a conhecemos hoje, os médicos reconhecem que o fenômeno é um mistério. A alta incidência de narrativas em várias culturas indica que, embora alguns possam simplesmente estar inventando uma história, muitos realmente vivem essa sensação de separação do corpo. O porquê disso, ninguém sabe.

SENSAÇÃO VERDADEIRA

Quase todo mundo um dia, ao acordar, já teve a sensação de estar desperto mas não ter domínio sobre o corpo. Isso é perfeitamente explicável pela medicina. “Acontece durante uma fase de transição do sono para o estado de vigília”, o neurologista Flávio Aloe do Laboratório do Sono do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. “Por algum descompasso, a consciência acorda e a musculatura permanece inibida.”

A experiência extracorporal vai muito além disso, é como se a consciência não só estivesse fora do corpo como razoavelmente distante dele. E ela não acontece só quando as pessoas estão dormindo. Os relatos apontam para algumas situações mais propícias como doença, estresse, meditação, hipnose, mas há até pessoas que dizem que conseguem induzir a experiência. Muitas das pessoas que passaram pela experiência, falam em um cordão que ligaria o corpo sutil ao corpo físico durante todo o período em que se está fora.

Ao que parece, em alguns casos pode-se associar a experiência ao uso de drogas e a doenças mentais, mas pessoas saudáveis também podem passar por uma experiência extracorporal. No artigo Out-of-Body Experiences, Carlos Alvarado, do Centro Caribeño de Estudios Post-Graduados, de San Juan, Porto Rico, faz um levantamento sobre os estudos feitos sobre o tema e demonstra que a relação entre a experiência e uma propensão a psicopatologias não está provada.