Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Técnica transforma CO2 em alimento

Processo usa três enzimas - e pode ajudar a combater, de uma só vez, o aquecimento global e a fome no mundo

Por Bruno Garattoni 16 dez 2021, 15h16

Cientistas chineses criaram um método que transforma o CO2, grande vilão do aquecimento global, em amido – um carboidrato que é naturalmente presente em batatas, arroz e milho, e pode ser usado para fazer farinha e preparar alimentos. O processo consiste em misturar o CO2 com hidrogênio e depois aplicar três enzimas (1).

Ele é relativamente simples (tem apenas 11 etapas) e produz 8,5 vezes mais amido a cada quilo de CO2 do que a fotossíntese natural. Segundo os pesquisadores, isso significa que em um tanque pequeno, com 3 metros cúbicos (3.000 litros) de capacidade, seria possível produzir tanto amido por ano quanto em uma plantação de milho com 1 hectare (equivalente a um campo de futebol).

Em 2017, cientistas finlandeses desenvolveram um processo para converter CO2 em proteína; mas ele é mais complexo, pois requer o uso de uma bactéria geneticamente modificada. No futuro, talvez ambos possam ser usados para reaproveitar o excesso de CO2 presente na atmosfera, freando o aquecimento global – e ajudando a combater a fome no mundo.

Fonte 1. Cell-free chemoenzymatic starch synthesis from carbon dioxide. T Cai e outros, 2021.

Continua após a publicidade

Publicidade