GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Vulcão: Inferno no porão

O encontro explosivo da calma superfície terrestre com o interior agitado.

Gabriela Yama

Aqui em cima, o solo é firme e as temperaturas, amenas. Lá no fundo, 40 quilômetros abaixo da superfície, o mundo é a própria imagem que os católicos têm do inferno. O calor ultrapassa os 1 000 graus Celsius e as rochas só permanecem no estado sólido por causa da imensa pressão no subsolo. Algumas vezes esse universo dantesco irrompe à superfície. Quando isso acontece, surge um vulcão.

As montanhas de fogo dependem de alguns pré-requisitos para aflorar. O fundamental é a presença de magma, uma mistura pastosa de gases, vapor d’água e minerais, principalmente sílica. Ele se forma pelo derretimento das rochas entre a crosta terrestre e o manto, a camada quentíssima situada logo abaixo dela. O derretimento, na maioria dos casos, é provocado pelo movimento das chamadas placas tectônicas – os blocos de rocha que compõem a crosta, como peças de um quebra-cabeça. Quando duas placas se chocam, uma delas mergulha sob a outra e afunda em direção ao manto. Ao encontrar as rochas mais quentes, ela se derrete parcialmente, produzindo o magma. “Por ser menos denso que as rochas da crosta, o líquido tende a subir, derretendo tudo no caminho”, diz a geofísica Leila Soares Marques, do Instituto Astronômico e Geofísico da Universidade de São Paulo. E o inferno explode.

Quem sabe é super

Todo ano acontecem no mundo inteiro entre 40 e 50 erupções vulcânicas, a maioria delas sem vítimas.

Escapamento da Terra

Entenda a estrutura de um vulcão.

1. Suco de pedra

 

Magma é a mistura de rochas derretidas, gases e vapor d’água que se forma em algumas regiões entre o manto e a crosta terrestre. Por ser mais leve que as rochas da crosta, o magma sobe em bolhas, para escapar à pressão.

 

2. A passagem

O conduto é a ligação entre o manto e a superfície. Ele se forma quando o magma sobe, derretendo tudo que encontra pelo caminho.

 

3. Piscina escaldante

Nem sempre as bolhas de rocha derretida conseguem abrir passagem para a superfície na primeira tentativa. Elas ficam acumuladas em um reservatório chamado câmara magmática, a cerca de 10 quilômetros do chão. Esse piscinão pode conter bilhões de toneladas de magma.

 

4. A saída

A abertura do conduto termina na cratera, que pode mudar de forma após vários derramamentos de lava. Em alguns vulcões, ela pode ser tampada por escombros depois de uma erupção e se encher com água da chuva. Forma-se, então, um lago.

 

5. A transformação

Quando a câmara está cheia demais, o vulcão explode. Ao sair, o magma perde gases e vapor d’água, passando a se chamar lava.

 

6. Vias perigosas

Canais secundários podem criar fissuras nas laterais do cone, por onde a lava sai.

 

7. Virando montanha

Depois de várias erupções, o vulcão ganha o seu típico formato de cone.

Morando num ovo

As camadas que formam o planeta.

A casca

 

A crosta terrestre é uma camada fina de rochas sólidas e frias, com 40 quilômetros de espessura nos continentes e 7 no fundo do mar. Ela é quebrada em vários pedaços, chamados placas tectônicas.

A clara

O manto é a parte maior, com cerca de 3 000 quilômetros de profundidade. Ele é sólido devido à pressão e tem temperaturas em torno dos 2 000 graus Celsius.

A gema

Feito quase totalmente de ferro, o núcleo do planeta também é sólido e muito mais quente. Sua temperatura chega perto dos 4 300 graus Celsius.

Os caminhos do fogo

Três causas para os derramamentos de lava.

Cada uma pra um lado

 

A lava aflora nas fendas onde as placas tectônicas se separam. Daí surgem cordilheiras submarinas e ilhas, como a Islândia.

 

Trombada tectônica

Quando duas placas se chocam, a mais fina desliza sob a mais espessa e afunda no manto. O processo se chama subducção. No mergulho, o calor derrete pedaços da placa, produzindo magma. Cerca de 80% dos vulcões, como os dos Andes e do Japão, nasceram assim.

 

Chafariz de magma

Certos vulcões, como os do Havaí, aparecem bem no meio de uma placa. Isso acontece por causa de gigantescas fontes fixas de calor chamadas pontos quentes, que produzem magma no manto e causam erupções na superfície. Quando a placa se move, o vulcão que estava lá se extingue e um outro brota sobre o ponto quente.