Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Bruno Garattoni Por Bruno Garattoni Vencedor de 13 prêmios de Jornalismo. Editor da SUPER.

Coronavírus pode atacar o sistema imunológico

Por Bruno Garattoni Atualizado em 21 mar 2022, 14h39 - Publicado em 21 mar 2022, 14h34

Estudo mostra que o Sars-CoV-2 é capaz de infectar e destruir as células T, enfraquecendo as defesas do organismo; invasão não utiliza os receptores ACE2 – e revela um novo mecanismo de ação do vírus. 

As células T têm duas funções cruciais: elas coordenam a resposta imunológica do organismo, ativando e dosando a resposta contra vírus, bactérias e outros invasores, e também matam células que estiverem infectadas. Um novo estudo, publicado por cientistas do Instituto de Virologia de Wuhan, mostrou que o coronavírus é capaz de atacar essas células – e enfraquecer as defesas do corpo.

Logo no início da pandemia, médicos e cientistas notaram que casos graves de Covid-19 podem reduzir bastante a quantidade de células T (uma condição conhecida como linfopenia). Mas o mecanismo envolvido ainda era um mistério: especulava-se que aquilo talvez fosse resultado de uma resposta imunológica exagerada e prejudicial (a tempestade de citocinas), ou então o vírus estivesse atacando a medula óssea e uma glândula chamada timo, que juntas são responsáveis pela produção de células T. 

Agora, o estudo chinês trouxe a resposta: o Sars-CoV-2 é capaz de infectar diretamente as células T. Isso pode ter duas consequências. As células T podem detectar o problema e “se suicidar”, o que enfraquece as defesas do organismo, ou podem continuar vivas, o que é pior – pois “pode transportar vírus para outras partes do corpo, por meio da corrente sanguínea”, afirma o estudo.  

 

Continua após a publicidade

gráfico
Incidência de células T “suicidas” em pessoa saudável (à esquerda) e em dois pacientes infectados pelo coronavírus. Signal Transduction and Target Therapy/Reprodução

Normalmente, o coronavírus usa os receptores ACE2 presentes nas células humanas para infectá-las. As células T até possuem esses receptores, mas em quantidade muito pequena. Logo, o vírus deve ter outro jeito de invadi-las. Em experiências in vitro, os cientistas bloquearam totalmente os receptores ACE2 nas células do sistema imunológico – e constataram que, mesmo assim, elas eram infectadas. 

Segundo os pesquisadores chineses, isso acontece porque o vírus usa outro receptor: o LFA-1, que está presente nas células T e nos glóbulos brancos do sangue. Isso precisa ser confirmado por outros estudos. Mas, se for, mudará profundamente o entendimento que a ciência tem do Sars-CoV-2 – provando que ele tem uma segunda maneira de infectar células humanas. 

A descoberta também levanta questionamentos sobre possíveis consequências da Covid para o sistema imunológico: a destruição de células T do subtipo CD4, que são as infectadas pelo coronavírus, também é o principal mecanismo de ação do vírus HIV

Compartilhe essa matéria via:
Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

Impressa + Digital

Plano completo da Super! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 12,90/mês