Assine SUPER por R$2,00/semana
Imagem Blog

Bruno Garattoni Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Bruno Garattoni
Vencedor de 15 prêmios de Jornalismo. Editor da Super.
Continua após publicidade

“Jedi Survivor” impressiona pelo visual – e testa os limites do PlayStation 5

Por Bruno Garattoni Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 15 Maio 2023, 15h33 - Publicado em 8 Maio 2023, 08h03

Novo jogo da saga Star Wars tem gráficos espetaculares, mas nem o PS5 consegue mantê-lo rodando a 60 fps; títulos baseados na plataforma Unreal Engine 4 dão primeiros sinais de estar “batendo no teto” do hardware

Jedi: Fallen Order, de 2019, é um ótimo game de ação, com cenários bonitos e detalhados. Fez sucesso e ganhou prêmios. Mas veja como ele se compara ao novo Jedi Survivor, lançado no último dia 28 para PlayStation 5, Xbox Series X/S e PC:

tela do game Jedi Survivor
(EA/Digital Foundry/Reprodução)

A diferença é brutal. A quantidade de elementos visuais de Jedi Survivor faz seu antecessor parecer um jogo de PlayStation 2. Veja, agora, o clipe abaixo:

Continua após a publicidade

Bem impressionante também (em uma televisão 4K, sem a compressão de vídeo imposta pelo YouTube, mais ainda). Jedi Survivor tem -junto com Ratchet & Clank: em uma nova dimensão, lançado em 2021 para o PS5- os melhores gráficos entre os jogos da nova geração de consoles.  

O estúdio americano Respawn, que produziu o jogo para a Electronic Arts, colocou nele toneladas de detalhes gráficos e efeitos de luz, incluindo ray tracing. O resultado é muito bonito: só por ele, Jedi Survivor (em que você novamente assume o papel do padawan Cal Kestis) já valeria a pena ser jogado. 

Continua após a publicidade

Mas esse esplendor tem um preço. Testado no PS5, o jogo rodou bem, com algumas ressalvas. Seu modo “Performance”, por exemplo, não consegue alcançar e manter 60 quadros por segundo: frequentemente cai abaixo disso, mesmo em cenas com pouca ação na tela. 

Além de reduzir a fluidez do game, isso gera o desagradável efeito de screen tearing – quando a parte de cima da tela fica levemente fora de sincronia com a de baixo. Então é melhor deixar esse modo de lado e jogar no “Qualidade”, a 30 fps, que não tem esses problemas e é bem estável. 

Em ambos os modos, o game faz uso intenso da tecnologia FidelityFX Super Resolution (FSR), da AMD, que aumenta a resolução da imagem. O chip de vídeo renderiza as imagens numa resolução mais baixa, e aí o FSR faz um upscaling de alta qualidade. Isso permite que os consoles aguentem rodar cenas mais pesadas, que sem o FSR eles não suportariam. 

Continua após a publicidade

O FSR tem efeitos colaterais típicos, e eles são visíveis em Jedi Survivor: elementos pequenos e que se movam rápido, como o cabelo do protagonista ou os contornos dos inimigos, às vezes ficam levemente pixelados/borrados. O efeito é discreto, não incomoda muito: mas, depois que você o nota, fica difícil de ignorar. 

star wars jedi survivor
(Electronic Arts/Reprodução)

Outra questão é que a resolução interna, que os consoles geram e entregam para o algoritmo FSR melhorar, é bem baixa em alguns momentos. A análise do canal Digital Foundry revelou que, no PlayStation 5, Jedi Survivor chega a trabalhar a 970p (no modo Qualidade) ou 648p (no Performance). 970p não é o fim do mundo, mas tem consequências visíveis – elementos retos dos cenários, como escadas e chapas metálicas, frequentemente apresentam serrilhamento (aliasing) nas bordas. 

Continua após a publicidade

Isso não chega a prejudicar o game – que, além de visualmente excelente, também é bem divertido. Com certeza merece ser jogado. Mas é um sinal de que os consoles atuais também têm seus limites, e os games mais recentes podem estar começando a alcançá-los. 

Jedi Survivor foi feito na plataforma de desenvolvimento Unreal Engine 4, da Epic Games, que domina o mercado – ela é usada em quase 50% dos jogos. Foi empregada para fazer Redfall, game de tiro que foi lançado semana passada para o Xbox Series X/S – e desapontou os jogadores ao não oferecer um modo 60 fps (Redfall também tem outros problemas de desenvolvimento, que vão além da saturação gráfica). 

A atual geração de consoles está prestes a completar dois anos e meio, e a indústria de games começa a abandonar a anterior (Jedi Survivor, Redfall e Horizon: Burning Shores, três grandes lançamentos recentes, não receberam versões para PS4 e Xbox One).   

Continua após a publicidade

Ao mesmo tempo em que finalmente se tornam o padrão do mercado, os novos consoles dão os primeiros indícios de que possam estar “batendo no teto” visualmente. Mas isso com games desenvolvidos na plataforma Unreal 4.

Entre o final deste ano e o início do próximo devem começar a chegar os primeiros jogos feitos com sua sucessora, a Unreal Engine 5, que promete um grande salto gráfico – inclusive no hardware atual.

Compartilhe essa matéria via:

Star Wars Jedi: Survivor

Capa do jogo "Star Wars Jedi: Survivor"

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.