Assine SUPER por R$2,00/semana
Imagem Blog

Bruno Garattoni Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Bruno Garattoni
Vencedor de 15 prêmios de Jornalismo. Editor da Super.
Continua após publicidade

Menino de 13 anos é a primeira pessoa a alcançar o final de “Tetris”

Por Bruno Garattoni Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 3 jan 2024, 16h01 - Publicado em 3 jan 2024, 16h00

O americano Willis Gibson foi o primeiro a chegar à mítica True Killscreen, que aparece no nível 157 e trava o jogo, encerrando-o; veja vídeo da proeza, que era perseguida há décadas

Tetris não tem final clássico, com um objetivo: o ritmo de queda das pecinhas vai acelerando até que você não consegue mais encaixá-las – aí a tela transborda e o jogo acaba. Fim. O jogo criado em 1984 pelo russo Alexei Pajitnov, que trabalhava como programador de software na Academia de Ciências da URSS, é assim.

Mas sua versão mais conhecida, que transformou Tetris em mania mundial, é um pouco diferente: ela tem um final, de certa forma, mas ele sempre foi considerado impossível de alcançar. Agora, alguém finalmente conseguiu – um menino americano de 13 anos.  

O tal final está presente na versão para o console Nintendo 8 bits (NES), que foi lançada em 1989 e se tornou um dos “ports” de Tetris mais populares da história – somando as mais de 50 plataformas para as quais foi convertido, o jogo vendeu 520 milhões de cópias. 

Na versão do NES, quando você chega a um determinado nível, o jogo simplesmente trava – por causa de um bug. Essa tela, que ficou conhecida como True Killscreen, é o final. 

Continua após a publicidade

Por muito tempo, acreditou-se que essa tela aparecesse no nível 29, quando as peças passam a cair em sua velocidade máxima. O game fica tão rápido que é praticamente impossível deslocar as pecinhas para os lados, e encaixá-las, antes que elas cheguem ao fundo. 

Em 2011, o jogador profissional americano Thor Aackerlund criou uma técnica: ele mantinha os dedos vibrando, e conseguia dar comandos mais ágeis. Chegou ao nível 30 – e viu que o final do game também não estava ali. Nos anos seguintes, outros jogadores foram indo mais longe, até o nível 40. 

Mas aí o americano Eric Tolt, conhecido no meio como EricICX, chegou muito além. Muito mesmo: em 2021, ele alcançou o inacreditável nível 146. Nessa altura, o jogo apresenta um bug que deixa as cores das pecinhas desbotadas, difíceis de enxergar. 

Agora o americano Willis Gibson, de 13 anos, que joga com o nome Blue Scuti, conseguiu chegar ao final de Tetris: o nível 157, no qual finalmente aconteceu a mítica True Killscreen – em que o jogo trava. Veja no vídeo abaixo: 

Continua após a publicidade

O canal Classic Tetris também publicou a gravação completa, de 47 minutos, mostrando a proeza do início ao fim. Gibson é conhecido no meio – já venceu vários torneios do game, e foi semifinalista do Classic Tetris World Championship (CTWC) de 2023. 

Agora, foi o primeiro a alcançar o final definitivo: foi a única vez na história em que um jogador derrotou Tetris, e não o contrário. O feito foi comemorado pela comunidade de jogadores, e pelo próprio Gibson – que pratica 3 a 5 horas de Tetris por dia. A próxima aparição dele será no Heart of Texas Tetris Tournament, que acontece nos dias 20 e 21 de janeiro em Waco, no Texas.  

Ainda não é o fim das aventuras com o Tetris do NES. Especula-se que, adotando um determinado estilo de jogo, talvez seja possível evitar a True Killscreen e jogar até o nível 255, que supostamente é o último armazenado na memória do cartucho. 

Continua após a publicidade
Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.