Assine SUPER por R$2,00/semana
Imagem Blog

Bruno Garattoni Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Bruno Garattoni
Vencedor de 15 prêmios de Jornalismo. Editor da Super.
Continua após publicidade

Ozempic vai ser racionado na Europa

Por Bruno Garattoni Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 4 dez 2023, 11h02 - Publicado em 30 nov 2023, 14h17

Alta procura faz Novo Nordisk limitar a comercialização da droga; agência médica europeia ainda nem liberou o uso do Ozempic contra a obesidade, mas ele já vem sendo usado com esse fim

O laboratório dinamarquês Novo Nordisk, fabricante do Ozempic, anunciou que vai racionar as vendas do medicamento na Europa devido à alta procura. A medidia afeta o Ozempic na versão de 0,25 mg, que é a dose inicial – portanto, o racionamento limitará a quantidade de pessoas que poderão começar a tomar Ozempic no continente europeu. 

A empresa não informou quanto tempo vai durar o racionamento, nem quais serão as regras. Mas, segundo a European Medicines Agency (EMA, equivalente europeu da Anvisa e da FDA), deverá haver “faltas intermitentes” do remédio no continente durante 2024.

Segundo a agência Reuters, o Novo Nordisk irá reduzir o suprimento de outro remédio, o Victoza, para priorizar a fabricação de Ozempic. Tanto a semaglutida, princípio ativo do Ozempic, quanto a liraglutida (do Victoza) são variações sintéticas do hormônio GLP-1 – que o organismo produz após as refeições e age de várias formas, incluindo a regulação do apetite. 

A principal diferença dos GLP-1 sintéticos é que eles duram até 5 mil vezes mais tempo no organismo. A “meia-vida” do GLP-1 natural, ou seja o tempo que 50% dele leva para sumir do corpo, é de 120 segundos. Meia hora após a liberação, 99% do hormônio já foi decomposto – isso é feito por uma enzima, chamada dipeptidil peptidase-4.  

Continua após a publicidade

Com os sintéticos, não é assim. Eles resistem à tal enzima, e por isso se degradam bem mais devagar – a meia-vida da semaglutida, por exemplo, é de uma semana. É essa ação prolongada, e contínua, que faz a pessoa emagrecer. 

A European Medicines Agency não liberou o Ozempic para uso contra a obesidade: ele só tem autorização oficial na Europa para tratar diabetes (para perda de peso, a EMA só liberou o Wegovy, também do Novo Nordisk, que contém uma dose de semaglutida mais alta).

Mesmo assim, as vendas do Ozempic dispararam na Europa (assim como no Brasil e nos EUA). Com isso, as ações do Novo Nordisk também subiram – e em setembro o laboratório se tornou a empresa mais valiosa da Europa, com valor de mercado de US$ 421 bilhões (superando a LVMH, dona de marcas como Dior e Louis Vuitton).

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.