Assine SUPER por R$2,00/semana
Imagem Blog

Oráculo

Por aquele cara de Delfos
Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail maria.costa@abril.com.br.
Continua após publicidade

Como sonham os cegos de nascença?

Audição, tato, paladar e olfato ficam mais aguçados para compensar a ausência de visão. Já o conteúdo é baseado no cotidiano, como de qualquer outra pessoa.

Por Carolina Fioratti
17 nov 2021, 12h58

Ninguém é capaz de sonhar com algo a que os sentidos nunca tiveram acesso. Audição, tato, olfato e paladar ficam mais aguçados (seja nos sonhos, seja na vida real) para compensar a ausência de visão.

O conteúdo dos sonhos se baseia no cotidiano, como em qualquer um de nós. Um estudo de 1999 analisou 372 devaneios noturnos de 15 adultos com deficiência visual. Os enredos mais frequentes incluíam cães-guia e também o ato de comer. Era comum entre os participantes sonhar com obstáculos durante caminhadas – reflexo das dificuldades no dia a dia.

Pessoas que perderam a visão antes dos 7 anos apresentam pouco ou nenhum conteúdo visual nos sonhos. Por outro lado, quem adquire o problema mais tarde do que isso geralmente preserva a capacidade de ver durante o sono – inclusive objetos inéditos que, na vida real, só são conhecidos por meio dos outros sentidos.

Continua após a publicidade

Pergunta de @adm.adrianoramos e @alexandraserousoff, via Instagram.

Fonte: Luciano Ribeiro, médico e pesquisador do Instituto do Sono.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.