Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Oráculo Por aquele cara de Delfos Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail maria.costa@abril.com.br.

Por que, em muitas séries, cada episódio tem um diretor diferente?

Para manter as engrenagens funcionando: o ritmo de uma série de TV é muito mais intenso que o de um filme.

Por Rafael Battaglia Atualizado em 7 jun 2021, 16h42 - Publicado em 14 jan 2021, 16h44

Para manter as engrenagens funcionando, já que o ritmo de uma série de TV é muito mais intenso que o de um filme. Enquanto o diretor de um episódio está gravando, o de outro está em pré-produção – escolhendo locações, fazendo reuniões com roteiristas e produtores e selecionando atores.

Quando chegar a vez de ele filmar, o diretor que já gravou entra em pós-produção (edição, efeitos especiais e por aí vai). Esse modelo se consolidou nos anos 1950. Seria impossível para um único diretor, em um ano, comandar os 22 ou 24 episódios de uma temporada – que é o formato convencional de uma série americana.

Há exceções apenas em minisséries ou séries com temporadas mais curtas. Por exemplo: a partir da segunda temporada, Sam Esmail passou a dirigir todos os capítulos da série Mr. Robot. Por sua vez, O Gambito da Rainha teve seus sete episódios escritos e dirigidos por Scott Frank.

No cinema, o diretor é a figura central do filme. Dita os rumos e, quase sempre, dá a palavra final. Em uma série de TV, quem ocupa esse cargo é o produtor executivo, chamado de showrunner (em tradução livre, “quem faz o show andar”). É essa pessoa que garante a unidade e a continuidade entre os episódios.

Nos últimos anos, muitos showrunners se tornaram famosos, como Shonda Rhimes (Grey’s Anatomy, How to Get Away with Murder), Ryan Murphy (Glee, American Horror Story) e Vince Gilligan (Breaking Bad, Better Call Saul). 

Com o prestígio das séries crescendo nas últimas décadas, impulsionado pelo streaming e por canais a cabo como HBO e AMC, muitos diretores de cinema acabam trabalhando na telinha. É o caso de David Fincher (Clube da Luta, A Rede Social), que dirigiu os dois primeiros episódios de House of Cards, da Netflix.

A escolha do diretor para o primeiro episódio de uma série (o famoso “piloto”) é importante. Afinal, ele ajudará a definir o tom do programa, que deverá ser seguido pelos diretores seguintes. Martin Scorsese (Taxi Driver, O Lobo de Wall Street), por exemplo, foi quem dirigiu o piloto de Boardwalk Empire, da HBO, em 2009. 

Pergunta de @pecorarojr, via Instagram

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

Impressa + Digital

Plano completo da Super. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)