Clique e Assine SUPER por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Turma do Fundão

Por Blog Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Grupo de leitores-colaboradores da ME que ajuda a revista sugerindo pautas e alimentando este blog cultural
Continua após publicidade

#DicaTdF: MDNA!

Por turma-do-fundao
Atualizado em 4 jul 2018, 20h35 - Publicado em 4 abr 2012, 19h10

THE QUEEN IS BACK! Depois de quatro anos sem lançar um álbum de inéditas (o último foi Hard Candy), Madonna, a eterna Material Girl, está de volta. Desde o anúncio do seu novo álbum, o mundo Pop vem se contorcendo para saber o que ela preparava. E a espera acabou!

MDNA (simplesmente a abreviação de Madonna, ou, para ir mais fundo, algo como DNA da Madonna) é o décimo segundo álbum da Madge. Enquanto em Hard Candy faz apostas nas colaborações de artistas Pop, MDNA, que só tem três faixas com feat, parte para o rap e hip-hop. Isso fez com que Madonna realmente dominasse o seu cd, algo tantas vezes esquecido.

Imagem: Divulgação

Depois de ouvir o cd (incontáveis vezes – ele é realmente viciador), aqui vai a análise de todas as faixas:

1-    Girl Gone Wild: Madonna começa o álbum de forma peculiar: pedindo perdão. Ela sabe que é selvagem, uma pecadora, mas acima de tudo, tem fé.  E o vídeo-clipe polêmico, com direito a coreografia masculina com salto-alto. 

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=tYkwziTrv5o?wmode=transparent&fs=1&hl=en&modestbranding=1&loop=0&iv_load_policy=3&showsearch=0&rel=1&theme=dark&w=425&h=344%5D

2-    Gang Bang: Essa faixa é para se amar ou detestar . Com direito a sons de tiros, cartuchos de balas vazios e carros em fuga, tem uma letra bem obscena, mas dê uma segunda chance à faixa. Ela pode ser fraca na primeira ouvida, porém, depois de um tempo, gruda.

3-    I’m Addicted: Tem uma batida hipnótica, mas poderia ter um refrão mais poderoso. Notem no fim da música uma curiosidade: Madge canta repetidamente “M.D.N.A.” intercalada com o nome da música, o que dá “Eu estou viciado M.D.N.A.”. Boa jogada. 

4-    Turn Up The Radio: Música bem fofa e que contagia, com o refrão dance bem grudento. 

5-    Give Me All Your Lovin’ (feat Nicki Minaj & M.I.A.): O primeiro single do álbum soou estranho. Uma música muito juvenil, com seus “L.U.V. MADONNA! Y.O.U YOU WANNA?”. Depois do clipe, cheio de pompons, a impressão se acentuou. Mas por trás disso há uma Madonna mandando uma indireta mal (ou bem?) direcionada “Todas as músicas parecem a mesma. Você tem que entrar no meu mundo”.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=cItHOl5LRWg?wmode=transparent&fs=1&hl=en&modestbranding=1&loop=0&iv_load_policy=3&showsearch=0&rel=1&theme=dark&w=425&h=344%5D

6-    Some Girls: A repetição da palavra “garota” no álbum é estranha (53 anos, gente…), mas tudo bem. Essa aqui é bem clichê, porém, muito deliciosa.  

7-    Superstar: Animada, se baseia na repetição do uh la la (lembrou rama ramama-ah Gaga uh la alguém?). A letra é bem básica, mas bem gostosa. 

8-    I Don’t Give A (feat Nicki Minaj): Faixa com toques apelativos, e outra parceria com a melhor rapper da atualidade. Apelativa pelo título sugestivo e pela última frase: “Só há uma Rainha. E é a Madonna…”. Lady Gaga sentiu essa indireta de longe, ai! 

9-    I’m a Sinner: Começa com uma batida pesada, e depois se torna mais leve e dançante. É hora da Madge voltar com seus laços com a religião, e repetindo: “Eu sou uma pecadora. Eu gosto desse jeito”. 

10- Love Spent: A faixa com a melhor melodia começa com um violão delicioso e parte para os vocais maravilhosos. O refrão inteiro é uma preciosidade. E ainda foi lançada a versão acústica exclusiva pro iTunes. Madonna acertou em cheio. 

11- Masterpiece: A música é tema de W.E. – O Romance do Século, filme dirigido pela Madonna, e ganhadora do Globo de Ouro de Melhor Canção Original. O nome não é por acaso, ela é realmente uma obra de arte. 

12- Falling Free: Segunda balada seguida tem uma melodia lindíssima. Madonna mostra que domina também as músicas fora das pistas.

Agora segue as faixas da versão Deluxe:

Imagem: Divulgação

1-    Beautiful Killer: Divertidíssima, dá vontade de sair andando na rua ao som do lindo assassino. Tem um tempero a mais que dá um sabor inigualável.

 2-    I F*cked Up: Começa lenta, densa, aí lá no meio dá uma agitada contagiante. Os vocais são muito bons, e Madge admite: eu ferrei com tudo. Com o amor pode até ser, porque nessa música você acertou, e muito. 

3-    B-day Song (feat M.I.A.): Madonna aproveitou a promoção do contrato que fez em Give Me All Your Lovin’ e jogou a M.I.A. aqui. Na primeira vez que você ouve a Madge cantando que “hoje é meu aniversário, eu sou uma garota feliz, sei que vai ser um bom dia” você para e se pergunta: Isso é sério?! Sim, tão sério que a faixa vicia absurdamente. O novo Parabéns Pra Você. 

4-    Best Friend: Sinceramente, não sei qual foi o elemento mágico que Madonna colocou aqui, porque ela tem uma letra triste, porém, é extremamente deliciosa – o refrão é perfeito. Não deveria ser apenas uma faixa-bônus. Aconselho ouvi-la num som stereo, já que aqui tem efeitos sonoros imperdíveis.

5-    Give Me All Your Lovin’ (Party Rock Remix) (feat LMFAO & Nicki Minaj): Madge + Minaj + L.U.V. MADONNA + LMFAO = farofa transbordando. Cuidado para não se engasgar.

Continua após a publicidade

O retorno às pistas do mundo Pop de Madonna foi muito bem concebido. Ela participou da composição de todas as faixas (o que é importante) e trabalhou com excelentes profissionais, o que nos deu um resultado muito satisfatório. MDNA revolucionou o Pop? Não. O ápice de um artista é apenas uma vez (raras vezes isso foge à regra), e o de Madonna já passou, mas isso não significa que ela está ultrapassada, muito pelo contrário. O Pop precisa da Material Girl. No DNA do Pop, gostando ou não, tem uma letra “M” tatuada.

 Por Gustavo Guimarães (@hausofgust)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.