GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Boas palavras para o Natal

Quinze títulos para os presentes de fim de ano: dos dinossauros aos computadores, dos astros aos átomos

A Sociedade Inteligente, Ethevaldo Siqueira, Editora Bandeirante, São Paulo, 1987.

“A tecnologia por si só não transforma o mundo. No entanto, ela funciona como instrumento, ferramenta de fator de difusão das idéias.” Com base nesse raciocínio, o jornalista brasileiro Ethevaldo Siqueira produziu um livro fascinante e inteligente. Sua intenção, como explica, é mostrar “um instante fotográfico desse mundo novo que emerge da revolução silenciosa promovida pelo computador, pelo chip, pelos satélites, pelas fibras óticas, pelas técnicas digitais, pela telecomunicações e pela difusão maciça de informações”. Você pode ficar tranqüilo, porque os 15 capítulos do livro são interessantes e bem explicados. Tanto que cada um pode ser lido em separado.

 

 

 

A verdade sobre os Dinossauros, Jean-Michel Mazin, L&PM Editores, Porto Alegre, 1986.

O Tiranossauro Rex, um dinossauro de dentes afiadíssimos, o maior carnívoro que já habitou a Terra, era um bicho inofensivo: ele só se alimentava de animais mortos. Informações tão surpreendentes como esta encontram-se neste livro de Jean-Michel Mazin, pesquisador da Universidade de Paris. É um estudo rigoroso sobre os répteis que dominaram a Terra. E também uma leitura fascinante.

 

 

 

Cosmos, Carl Sagan, Livraria Francisco Alves Editora, Rio de Janeiro, 1986.

Quem nunca se maravilhou ao menos uma vez na vida ao olhar para o céu estrelado? Muitos pensam que esse deslumbramento decorre da ignorância e que, se soubermos o suficiente, trocaremos a sensação de quase êxtase pelo puro raciocínio científico. Carl Sagan discorda. Seu livro Cosmos, em que foi baseada a famosa série de televisão, é uma obra de puro fascínio fundamentada no conhecimento. Nele, a ciência e a poesia caminham juntas.

 

 

 

Um Pouco Mais de Azul, Hubert Reeves, Editora Gradivas, Lisboa, sem data.

Um pouco de poesia faz muito bem aos físicos nucleares: é o que mostra o Hubert Reeves, e importante profissional dessa área cuja sensibilidade lhe permite apresentar de maneira encantadora os fatos geralmente frio sobre a evolução do Universo. O que ele nos faz ver, com seu texto de mestre, é que a matéria inanimada também tem uma história, da mesma forma que a vida e as civilizações.

 

 

 

O Romance da Ciência, Carl Sagan, Livraria Francisco Alves Editora, Rio de Janeiro, 1985.

“Considero a ciência mais sutil, mais intrincada e mais impressionante do que qualquer parte da ficção científica.” Esta frase resume o espírito que anima todo o trabalho de divulgação científica realizado pelo astrônomo norte-americano Carl Sagan. Ele combina com rara competência conhecimento científico e extraordinária capacidade de comunicação. O romance da ciência é um momento privilegiado desse casamento do saber com o charme.

 

 

 

História Ilustrada da Ciência da Universidade de Cambridge, volumes I, II, III e IV, Colin Ronan, Jorge Zahar Editor, Rio de Janeiro, 1987.

Soberbo panorama da ciência, desde a magia do homem primitivo e a Teoria da Relatividade, é que esses quatro volumes dão ao leitor. Além de temas conhecidos, como a ciência grega, a revolução científica do século XVII ou o darwinismo, há também assuntos raros em obras do gênero – a ciência antiga oriental, a ciência islâmica e medieval ou o hermetismo durante o Renascimento. Tudo é tratado com competência e clareza.

 

 

 

O Homem e Seus Símbolos, Carl Gustav Jung, Editora Nova Fronteira, Rio de Janeiro, 1987.

Convidado a escrever uma exposição popularizada de suas teorias, o psicólogo suíço Carl Gustav Jung (1875-1961) se recusou. Pouco depois, porém, um sonho modificou sua opinião: ele se viu num lugar público, falando para uma multidão, que o ouvia com atenção e entendia tudo. Daí nasceu O Homem e Seus Símbolos, precioso resumo da psicologia junguiana. Escrito em colaboração com seus principais assessores, foi o último livro de Jung.

 

 

 

O Enigma do Cosmo, S. Groueff e J.P. Cartier, Editora Primor, Rio de Janeiro, 1978.

Escrito como uma reportagem capaz de prender a atenção do leitor da primeira à última linha, este livro é uma história da Astronomia e da Cosmologia, através da vida dos homens que construíram essas ciências – dos antigos babilônios aos astrônomos contemporâneos. Um destaque para o excelente material fotográfico usado como ilustração.

 

 

 

O Tao da Física, Fritjof Capra, Editora Cutrix, São Paulo, 1985.

Neste best-seller, o importante físico Fritjof Capra procura mostrar a convergência entre a física contemporânea e as grandes correntes do misticismo oriental. O tema é superinteressante, mas o livro desigual: forte na Física, soa, em relação ao misticismo, como a apressada apologia de um principiante. De qualquer modo, leitura obrigatória.

 

 

 

Estudos de História do Pensamento Científico, Alexandre Koyré, Editora Forense/Editora da Universidade de Brasília, Rio de Janeiro, 1982.

Conjunto de ensaios do historiador da ciência Alexandre Koyré. Não é um livro fácil, mas indispensável para quem deseja se aprofundar na reflexão sobre as motivações filosóficas e culturais do pensamento científico. Brilhante o artigo que explica as diferenças entre as idéias cosmológicas de Kepler e Galileu a partir de suas concepções estéticas opostas.

 

 

 

Os Três Primeiros Minutos, Steven Weinberg, Editora Guanabara Dois, Rio de Janeiro, 1980.

Relato fascinante dos três minutos iniciais do Universo – quando, logo após o Big Bang (Grande Explosão), a matéria passou por transformações fantásticas. Weinberg – prêmio Nobel de Física de 1979 – escreveu este livro para os não-iniciados em ciências. É uma obra, porém, que exige a leitura bastante atenta.

 

 

 

No Mundo da Álgebra, Isaac Asimov, Livraria Francisco Alves Editora, Rio de Janeiro, 1987.

O cientista inglês Fred Hoyle lembra que, quando começou a se interessar por Física, cada vez que tentava avançar, topava com o obstáculo do cálculo matemático. Tentou contornar o problema de várias maneiras, até que se rendeu e decidiu estudar Matemática. Aí, todas as portas se abriram. Enfrentada de modo adequado, a Matemática se torna uma fera dócil. É o que eu este livro de Asimov consegue: domesticar o monstro dos números. Tranquilamente.

 

 

 

O Saber em Cores, adaptação de Darly Nicolanna Scornaienchi, Editora Maltese, São Paulo, sem data.

Para pesquisa escolar ou como leitura agradável, esta coleção é uma boa pedida para adolescentes. Dos hieróglifos egípcios à televisão, de Shakespeare a Villa-Lobos, uma enormidade de assuntos e personalidades é colocada ao alcance dos leitores jovens. Com muita ilustração.

 

 

 

Primeira Enciclopédia, Editora Maltese, São Paulo, 1987.

O sal dos oceanos, os satélites artificiais, os homens pré-históricos, a vida nos castelos: eis alguns dos milhares de assuntos que povoam os oito volumes desta coleção. Programada para um público de crianças entre os seis e os onze anos, é a primeira enciclopédia de perguntas e respostas editada no Brasil.

 

 

 

Atlas Celeste, Ronaldo Rogério de Freitas Mourão, Editora Vozes, Petrópolis, 1986.

Você é capaz de olhar para o céu noturno de encontrar o planeta Marte, a estrela Aldebarã, a constelação de Aquário ou o aglomerado estelar das Plêiades? O Atlas Celeste do astrônomo Ronaldo Mourão ensina como – e muito mais. Além de cartas que dão uma descrição detalhada do céu visto no Brasil mês a mês, o livro explica ainda uma enormidade de assuntos ligados à Astronomia – do nascimento, vida e morte das estrelas até a natureza das caudas dos cometas.