Clique e assine a partir de 8,90/mês

Correio

As primeiras mensagens eram pedidos de dinheiro

Por Da Redação - Atualizado em 31 out 2016, 18h45 - Publicado em 31 ago 2006, 22h00

Desde as primeiras civilizações, os homens estudavam meios de facilitar as trocas de informação entre eles, em especial as secretas e políticas, que escondiam dados importantes tanto coletivamente quanto individualmente.

Na Pérsia antiga, em 500 a.C., surgiu o primeiro “correio” eficiente do mundo. Havia centenas de estações espalhadas por todo o reinado e os mensageiros montados a cavalo iam de uma a outra levando mensagens. O objetivo do sistema, conhecido como angarion, era servir de aparato de inteligência e, posteriormente, fazer cobranças de impostos.

O sistema postal em que qualquer pessoa pode enviar um documento a outra é uma invenção da França do monarca Luís 14. Implantado em 1653, esse serviço não foi criado para facilitar a comunicação entre os parisienses, mas para levantar dinheiro e assim conseguir financiar as guerras. Uma distância de até 250 km demorava 2 dias para ser percorrida para que a mensagem fosse passada. De todas as formas de correio existentes, a mais fascinante sempre foi a dos pombos-correio. Treinadíssimos e com grande capacidade de localização, esses animais atingiam 70 km/h e levavam mensagens amarradas nos pés desde a época dos faraós.

Data de maio de 1500 a primeira carta enviada no Brasil. Trata-se da famosa correspondência que o navegador Pero Vaz de Caminha escreveu ao rei de Portugal, relatando a exuberância do Brasil, terra que, “em se plantando, tudo dá”.

Continua após a publicidade
Publicidade