Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Grande Salão do Povo: Exagero comunista

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h52 - Publicado em 31 out 2004, 22h00

Sede do Parlamento, o Grande Salão do Povo, localizado na porção oeste da Praça da Paz Celestial, em Pequim, abriga o maior auditório do mundo – sua platéia comporta até 10 000 pessoas sentadas. Ele foi instalado no centro do prédio em formato de E, erguido por voluntários comunistas entre os anos de 1958 e 1959 para celebrar o décimo aniversário da implantação da República Popular da China. O prédio tem 76 metros de largura, 60 metros de comprimento e 32 metros de altura, com três níveis. Apesar das dimensões exageradas, o detalhe que mais impressiona os visitantes do auditório é o seu teto, onde um sistema de iluminação dá a impressão de que o forro é uma grande estrela cercada por centenas de estrelas menores, representando a China como centro de uma galáxia de estrelas comunistas.

Quem vai ao teatro se encanta já na entrada do Grande Salão do Povo, que impressiona com suas 134 colunas de 25 metros de altura e dois metros de diâmetro. Para se ter uma idéia, são necessárias três pessoas de mãos dadas e braços abertos para envolver cada coluna. No topo da entrada o visitante depara com o emblema nacional chinês, que tem quatro metros de diâmetro. O auditório ocupa a área central do prédio, que também abriga uma área de banquetes com capacidade para até 5 000 pessoas. Tudo gigantesco e exagerado, bem ao gosto dos primeiros governos comunistas.

O auditório do Grande Salão do Povo, onde são realizados os encontros do Congresso Nacional do Povo, pode acomodar seis platéias lotadas do Teatro Municipal de São Paulo

Publicidade